» Colunas » Editorial

10/01/2012
O Brasil na chuva e na lama

Janeiro chegou e com ele, chuvas e enchentes.Já estamos de novo ouvindo os mesmos discursos na repetição bem conhecida.  Ouvimos as mesmas coisas no ano passado,no retrasado,nas últimas décadas .As tragédias que enchem as telas da televisão,alimentam o ego dos incompetentes e revoltam novamente a sociedade.Como eu disse em crônica anterior, o ano é novo mas tudo continua velho.Discurso de político então,nem se fale.Todos fizeram curso de oratória na mesma escola e as frases já nem são novidades ou surpreendentes.Tudo igual.Áreas de risco, desabamentos, ocupação desordenada,crescimento urbano sem planejamento, obras improvisadas, enfim as mesmas coisas de sempre.Já enjoamos disto! Queremos as soluções, o cumprimento das promessas, o investimento.Queremos as atitudes, a renovação, o empenho e principalmente a eficiência.Medidas paliativas não suportam os fenômenos da natureza.Limpeza de córregos,bocas de lobo se faz o ano inteiro como prevenção.Desassoreamento de rios e canais se faz com antecipação,nos períodos que antecedem as chuvas.Desapropriação das áreas de risco se faz ao longo do ano com planejamento,bom senso e não em momentos de desespero.Obras inteligentes e definitivas precisam ser realizadas.Até quando a população mais humilde estará fadada a um Estado ineficiente que assiste, de camarote, a todas estas catástrofes?Até quando o povo acreditará que está sendo ajudado?Até quando os brasileiros continuarão na passividade,pacatos e se vendendo por cestas básicas, favorecimentos pessoais e por falsas promessas ? Já está claro que estamos no país do oportunismo político.Enchentes, geram solicitações de verbas que nunca chegarão ao seu real destino.Todo mundo passará a mão antes , para depois as CPIs concluírem e confirmarem os desvios.Nunca foi diferente e nos últimos anos piorou.A certeza de que algo está errado está na comparação do Brasil com o Japão. Lá ,6 meses após um grande terremoto, tudo foi magnificamente reconstruído.Aqui, um ano depois das enchentes e desabamentos de 2011, pouco ou quase nada se fez.Culpa-se porém, a burocracia na liberação dos recursos.Burocracia que, favorece pequenos grupos e desfavorece os que realmente necessitam.Seja o que for, concluo que não há interesse em solucionar nada neste país cuja vergonha maior é a corrupção e a impunidade nos altos escalões do poder.Prevalece o engano à população e empenha-se nesta lavagem cerebral que é realizada principalmente em períodos eleitorais.Concluo que, só as desgraças humanas levam enriquecimento aos que tem desejo de poder.Por isso acreditem, em janeiro do ano que vem, tudo se repetirá, como numa ladainha cansativa e monótona que, até os deuses já desistiram de ouvir.O Estado? Ah! Este continuará assistindo ,confortavelmente ,ao filme de horror sempre repassado nos meses de chuva.A população, como escreveu meu amigo Altino Olympio, continuará assistindo o Big Brother como se fosse o acontecimento mais importante da face da terra.
FATIMA CHIATI



Leia outras matérias desta seção
 » Tribunal de Contas x Prefeitura
 » Tribunal de Contas age e breca licitação
 » Homenagem a Lei Anticorrupção
 » O mundo mudou, os políticos não!
 » 9 de Julho: a vitória política
 » PROERD da Polícia Militar
 » Resposta ao meu amigo Osvaldo
 » Lixão: Vox Populi Vox Dei
 » Ampliação do lixão, vale a pena lutar contra ?
 » Colecionando improbidade administrativa
 » Como afastar um Prefeito
 » O Jornalismo
 » Caieiras um Município Carente na TV
 » ITBI não sobe e Lei tem falha
 » Carnaval ainda é cultura popular?
 » Favor não alegar ignorância
 » O Mar de cocô
 » Caieiras homenageia República de Nagorno que não existe
 » Aprendam políticos e advogados
 » O polêmico decreto sobre armas de fogo



Voltar