» Colunas » Editorial

17/11/2017
Parece que virou esculhambação!

Aumento do ISS (Imposto sobre Serviços)

A notícia corrente nesta semana em Caieiras, diz que o causador do aumento das alíquotas do ISS teria sido um estagiário, encarregado de elaborar a tabela o aprendiz de feitiçeiro fez a majoração da maioria para 5%.

Algumas alíquotas foram de 2% para 5% outras de 3% também para 5% . Isso pegou em cheio as empresas que são as maiores pagadoras de ISS do Município e tinham como incentivo uma tarifa moderada.

Essas empresas diante do aumento brutal do ISS  estão pensando em mudar suas sédes para outros Municípios mais acolhedores, ou seja, onde a alíquota é menor. Talvez a única que não possa fazer isso é a concessionária de transporte coletivo.

O aumento  enfiado goela abaixo dos contribuintes do ISS,  teve a aprovaçáo de todos os Vereadores que ora tentam se livrar do ônus político, se alguma empresa fizer as malas e deixar Caieiras com as consequências previsíveis, é óbvio que também serão responsáveis.

Enfim, o caso ISS parece ter virado esculhambação, andar na contramão da história é só para quem tem Q.I. privilegiado. De qualquer forma a versão do estagiário é "ótima".

 

 

 


edson navarro-economista

Leia outras matérias desta seção
 » Caieiras: Se sair mais do que entra "nóis quebra"
 » A consciência dos políticos brasileiros em reais
 » O presente das trevas do Dória
 » TCE: Mais um prêmio para o ex-prefeito Hamamoto
 » TCE: Chumbo grosso no prefeito de caieiras
 » Liberdade de Imprensa-Daniel Nakao Maibashi
 » Me engana que eu gosto
 » Caieiras e o novo marco do saneamento básico
 » Quem brinca com fogo acaba se queimando
 » Coronavirus: o after day das contas
 » A atual guerra Paulista
 » A vez do Witzel
 » O vídeo Bolsonaro x Moro
 » Caieiras deve receber R$ 11 milhões de ajuda federal
 » Feriado da consciência pandêmica - Folclore Nacional
 » Coronavírus-Osmar Terra: "não é bem assim"
 » Coronavírus: e agora manézada?.
 » Prefeito pretende gastar R$ 3,9 milhões em festas
 » Estado de Calamidade impõe normas na esfera jurídica
 » Prefeitura gasta R$ 10 milhões em festas



Voltar