14/01/2020
Um grande amor

ou a poesia errada

Vi-te ontem , pela urbe . Há muito tempo isso não acontecia . Estavas diferente , maltratada , ancas descentralizadas ( talvez pelo uso demasiado com diversos parceiros ) , cabelos desgrenhados de uma cor esquisita ( talvez utilizes restos de tintura que sobra nos frascos ) , sapatos sujos , meias com furos , enfim , um lixo .

Você também me viu , fingiu que não mas me viu . Sentei-me numa mesa do Vialle e até pensei chamar-lhe para um chopp mas , pensando bem , desisti e deverias estar com fome pois a sua fisionomia indicava isso .

Mil coisas vieram-me á mente ; passado já distante , sofrimento , dor , entrega total , planos , flores , juras de amor .......uma historia .

Fizeste-me sofrer muito . Eu então com 17 / 20 anos , apaixonado por ti , com um emprego promissor nas mãos , estudando eletricidade , sonhei mil planos para nós porém , você me repelia . Chocolates , flores , anéis , pingentes , roupas , correntinhas de semi jóias , até caixinha de som te dei , inutilmente . Pensei catar-te á força na ponte do pecado da Vila Barreiro mas tu , esperta , não caia em minha lábia .

Lembra-te uma vez , numa festa de fim de ano da empresa papeleira , não sei porque , aceitastes alguns chopp á mais e consegui arrastar-te até a arquibancada amorosa onde tentei possuir-te . Tudo ia bem e eu com a testosterona a mil e local muito escuro , não percebemos e caímos sobre um casal que já se amava e deu uma confusão danada ; Quase apanhei . Desmontou-se a cena pois o furdunço noturno amoroso acordou-a do êxtase alcoólico .

Outra vez , fiz –lhe uma homenagem e recitei Camões com o poema “ Tú “ , lembra-te ???

Tú , porteira redonda , cercada de fios de cabelo , por onde passam em sinuelo , as tropas que vem do bucho . Não era lindo isso ???

Repeliste-me de novo . Enfim , desisti . Mudei-me para a Lapa , fui trabalhar numa grande empresa e casei-me . Hoje vivo uma vida boa , aposentado , mas ainda sonho com tuas ancas balouçantes e teus seios eretos que persegui freneticamente mas sem sucesso .

O destino na maioria das vezes é cruel com os amantes .

Fred Assoni 

Esta crônica foi elaborada após meu encontro com um grande amigo da Cidade dos Pinherais que eu não encontrava por quase 25 anos .Minha homenagem á ele .



Leia outras matérias desta seção
 » Cabrunca
 » O cuscuz
 » Eu só queria passar
 » A formatura
 » Um grande amor
 » Festas suspensas
 » Adeus
 » Quase !!!
 » A última viagem
 » CRM Clube Recreativo Melhoramentos
 » Regras atuais para um bom transar
 » A breve vida de Jojô
 » O idioma alemão é fácil
 » Os três castigos chineses
 » Bom 2019 para todos
 » A cura da Gagueira
 » Tonhão Coronhada
 » Gleice Pilates
 » Festa na piscina
 » Desmanche de Mulheres e homens

Voltar