10/10/2020
Os três Mosqueteiros

Segundo Fred Assoni

Eles existiram realmente , fui e sou ainda prova viva disso .

Eram três montadores franceses . Vieram montar um TurbAir Vacuum vendido pela empresa Chleq Froteé francesa para uma grande fabrica em Mucuri BA .

Eu trabalhava numa Montadora , recém saído duma grande empresa produtora de maquinas e fui designado para ajudar um deles . Eram o Jean Pierre , August e Reijo . Dois franceses e um finlandes .

A montadora designou eu , Rogerio Vargas e Celino para assessorá-los e dar total apoio á montagem do Turbo . Formamos parceria , Eu com Reijo , August com Celino e Jean Pierre com Rogerio.

Fomos apresentados , tentamos nos comunicar , mostrar aptidões , conhecer planos , sequencias e sistemas de montagem e lá fomos nós .

Cada Mosqueteiro ( apelidamo-os assim ) tinha uma característica :Jean Pierre era o líder mecanico , instrumentista , detalhista e um pouco chato até ; Apelidei – o de Cabasset ; August já era mais expansivo , mais porra louca , mais atirado e errava muitas vezes na montagem dos itens ; Apelidei-o de Fracasset ; Reijo já era desconfiado , minucioso , cheio de manias e checagens ; Apelidei-o de Cagasset .

Tres figuras .....digamos .....díspares , enigmáticas , macambúzias , até .Iniciamos a epopéia . Tinhamos 18 homens trabalhando conosco , preparando , montando tubulações , nivelando maquinas , instalando cabos , montando itens e afins .

Começamos bem , equipamento no pátio , fundações prontas , ar , água , óleo com terminais no local , Pipe Shop montado , iluminação ok, voltagem 24 v para lâmpadas internas ok , iniciamos o serviço .

O europeu é esquisito , fechado , cheio de normas , manias e trejeitos . O serviço ia bem . Conversavamos , nós brasileiros e eles franceses sem entender porra nenhuma de que um falava pro outro mas , tocávamos o barco . O uniforme deles era de um verde escuro com golas laranja , bonito prá dedéu . O nosso era o tradicional meia boca pois ainda não tínhamos a rigidez nas normas ABNT .

Chegou o primeiro fim de semana e Jean Pierre ( o Cabasset ) quis ir até a praia , distante uns 40 km da pousada . Fomos em dois carros , nós seis , os três europeus e nós brasileiros .

Eles passearam pela praia ( percebi que não gostaram ) cheia de algas e galhos de arbustos praieiros vindos com alguma ressaca , almoçamos num quiosque á beira mar , bebemos um pouco além da conta , conversamos sobre a vida no Brasil ( tentamos conversar mas até que deu prá entender alguma coisa ) .

Almoço bom , peixada de Peroá , Moqueca baiana , Camarões no Dendê , caipirinha , batidas e cerveja Original .

Daí , August Fracasset sugeriu um churrasco brasileiro no próximo fim de semana . Todos aplaudiram pois afinal o churrasco brasileiro é famoso no mundo inteiro e marcamos pro próximo sábado . Ficamos nós três , brasileiros , de programar o evento .

“ Pobrema “ ..........Como é que vamos achar Picanhas , Costelas gauchas , Maminhas , Alcatras , aqui neste fim de mundo de outra cultura , outros gostos culinários , outro tipo de vida ????

- Poderíamos mandar buscar em Vitória ES, sugeriu Rogério ;

- Mas são 1000 km de ida e volta , inviabilizou , respondi .

Papo vai , papo vem e Celino sugeriu : Porque não servir um churrasco de bode pros gringos ???

- Porra , falei . Vc vem da Europa pro Brasil , sonhando com um Churrasco gaucho e vai comer Churrasco de Bode ????? Os caras vão nos matar , respondi .

- Celino treplicou , - Mas quem disse que é churrasco de bode ???? Carne é carne e se eles nunca experimentaram ..........

Montamos o esquema . Fomos falar com Mestre Gerino , criador de caprinos , explicamos a situação e .........- Xá comigo , respondeu o Mestre .

Benzi-me !!!!!

Trabalhamos duro na semana e os Tres Mosqueteiros só falavam no Churrasco Gaucho de sábado próximo .

Acertamos com Mestre Girino que ele faria o bode assado na sua casa e traria prá Pousada , a carne já semi pronta e daria um susto na churrasqueira de tijolos no chão , armada nos fundos da Pousada .

Chegou sábado . Confesso que eu estava apreensivo pois o golpe poderia estragar nossa parceria de trabalho . Prá complicar , os três mosqueteiros chegaram com três garrafas de Cognac Saint Benedictine , francesas , uma para cada um de nós . Putz , uma surpresa ...agradecemos e fomos ao churrasco ..

Apresentamos o Mestre Gerino prá eles e ficaram maravilhados com a visão que tiveram : - Mon Dieu !!!! C ést delicious !!!! exclamaram em uníssono , ( Benzi-me de novo ) .

O aroma realmente emanava delicioso das carnes ( Shoyu com bacon , dizia o Mestre e nos piscava ) , começamos á beliscar , linguiçinha sem pimenta , pão na manteiga de garrafa na churrasqueira e iniciamos a refrega .

- Que se que cést ??? apontava Jean Pierre pro naco de carne que parecia ser a perna do bode .

- P i c a n h a , respondi ; - Huummm, cést si bon !!!! Benzi-me de novo .

Prá encurtar ......fartaram-se , bebemos muito e os Tres Mosqueteiros saíram felizes com mil fotos que tiraram do “ Churrasco Gaucho “ que comeram na Bahia do Brasil .

Vão mostrar estas fotos lá na França e lógico , alguém vai falar-lhes que comeram gato por lebre pois aquilo não era gaucho nem aqui nem na China .

No max poderão falar - Filos do puta !!!! enganaron nós .......mas daí já estarei em Caieiras , ou em outra fabrica qualquer do Brasil.

Prá terminar , o Equipamento funcionou , performance perfeita e comemorações só entre os diretores com whisky e licores franceses mas da janela , Jean Pierre , August e Reijo olhavam para nós e levantavam o dedão fazendo sinal de positivo como que dizendo – nos .........- Estava bom nosso Churrasco Gaucho e não este porcaria aqui .

Fred Assoni


 


 



Leia outras matérias desta seção
 » Os três Mosqueteiros
 » Erudam-se!!
 » Relato de uma vida vazia
 » A velha carabina
 » Vejo , claramente , a luz apagar-se no fim do túnel
 » Carlos Zéfiro
 » A cueca atômica
 » Cabrunca
 » O cuscuz
 » Eu só queria passar
 » A formatura
 » Um grande amor
 » Festas suspensas
 » Adeus
 » Quase !!!
 » A última viagem
 » CRM Clube Recreativo Melhoramentos
 » Regras atuais para um bom transar
 » A breve vida de Jojô
 » O idioma alemão é fácil

Voltar