» Colunas » História » Lixão da Cavo (Essencis)

17 de Abril de 2004
Lixão da cavo: Terra do Rio Tietê vem para Caieiras

 

A notícia veiculada esta semana pela revista Veja SP não poderia ser considerada um motivo de orgulho para os caieirenses. O texto publicado explica para onde vai a terra retirada do rio Tietê e revela que “se a terra possui elementos nocivos, é encaminhada a depósitos em Pedreira e Caieiras”. A informação preocupa os moradores do Jardim Marcelino, que reclamam do mau cheiro exalado pela CTR, Central de Tratamento de Resíduos.

 

A revista publicou a seguinte matéria: Para onde vai a terra tirada do Tietê?

 

Por causa das obras de ampliação da calha do rio, são retirados diariamente 200 caminhões de terra do Tietê. Quando não contém componentes tóxicos, parte dela vai para uma lagoa artificial em Carapicuíba ou para um aterro em Guarulhos. Se a terra possui elementos nocivos, é encaminhada a depósitos em Pedreira e Caieiras.

 

O superintendente do DAEE, Departamento de Água e Energia Elétrica, Ricardo Daruiz Borsari, 47, esclareceu, por telefone, que a terra considerada nociva tem chumbo e é levada para Caieiras porque o CTR permite a entrada de resíduos classe 2, com fiscalização feita pela Cetesb. Segundo ele, a terra começou a ser removida em julho do ano passado para o rebaixamento da calha do rio Tietê. Agora, não está sendo encaminhada para Caieiras, mas cerca de 30 mil m³ deverão ser divididos entre as duas cidades citadas pela Veja, e a entrega deverá ser concluída entre 60 e 90 dias.

 

Foram removidos de 250 a 300 mil m³ para os dois locais e o serviço é feito por uma empresa terceirizada, mediante contrato. Diferente do que acreditam os moradores do Marcelino que reclamam do mau cheiro, o superintendente, só tem elogios para o CTR Caieiras. “Estive duas vezes no local e vi que o serviço é de primeira linha. É um aterro de primeiro mundo, com impermeabilização e controle de chorume”, concluiu.

 

* CHUMBO TEM DEGRADAÇÃO LENTA

 

O chumbo é um dos metais pesados de utilização industrial mais variada, presente, sobretudo em baterias. Era um aditivo dos combustíveis automotivos até meados dos anos 80.

 

Como todo metal pesado, degrada-se muito lentamente no meio ambiente, persistindo durante décadas no solo e no fundo dos rios, lagoas e represas. Não é metabolizado pelos animais e sofre o processo de bioacumulação, afetando mais os animais do topo da cadeia alimentar, entre os quais está o homem.

 

Comprovadamente carcinogênico, causa câncer, teratogênico, causa malformações estruturais no feto, baixo peso ou disfunções metabólicas e biológicas, é tóxico para o sistema reprodutivo, causa disfunções sexuais, abortos e infertilidade. A presença de quantidades elevadas de chumbo no sangue está relacionada a problemas neurológicos, como falta de concentração e dificuldades na fala.

 

Fontes: O Estado de S. Paulo; EPA, Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos; Agência de Substâncias Tóxicas e Registro de Doenças dos Estados Unidos; Banco de Dados Toxicológicos da Prefeitura Municipal de Santos e Environmental Defense e Regional News.

 

MAU CHEIRO: LIXÃO DA CAVO

 

A população do Jardim Marcelino também reclama do cheiro que exala da empresa Essencis Soluções Ambientais, responsável pelo tratamento de resíduos. “Quando venta ou faz muito calor, o cheiro é insuportável.

Estou saindo do bairro, mas quem ficar verá melhorias?”
, interrogou a dona de casa identificada apenas como Beatriz.

 

O ouvidor da Essencis, Geovano Candiane, informou que a comunidade tem um número de telefone direto para reclamar a ouvidoria. Disse que há vinte dias não recebe questionamento. A empresa já fez um mapeamento dos dias em que os odores ficam mais fortes, mas que não é contínuo. Geovano acrescentou que para o segundo semestre deste ano está previsto o lacre dos depósitos de chorume, substância com odor forte, enquanto aguarda a coleta da Sabesp que ocorre três vezes por semana.

 

A resposta da Essencis

 

E-mail enviado:

 

Favor repassarem ao setor competente, já que em "contato" não aparece.

 

A população do jardim Marcelino e jardim Vitória estão reclamando a tempos do mau cheiro exalado pelo lixão, nesta semana começou a correr pelos bairros abaixo assinado para ser entregue ao Promotor Público do Meio Ambiente, caso V.Sas. desejem favor retornar o e-mail com informações, uma das reclamações diz respeito a forte cheiro sómente no horário noturno que provoca irritação nas narinas e está atingindo não só os bairros, mas toda a Cidade.

 

A Redação.

 

A resposta da Essencis:

 

Bom dia!

 

Encaminhei uma mensagem através do formulário de vocês; encontrei sua página, porém nenhum contato por telefone.

 

Gostaríamos de esclarecer essas manifestações dos moradores.

 

Sendo assim, podemos recebê-los para uma visita aqui em nossa unidade de Caieiras para mostrarmos todo nosso sistema operacional; que é bastante diferente de um Lixão.

 

Atenciosamente;

 

Giovano Candiani – Ecólogo e Ouvidor Ambiental

 

Essencis S.A. – CTR/Caieiras

 

4442-7329.

 

Mensagem encaminhada pelo formulário:

 

Bom, dia!

 

Sou Ouvidor Ambiental da Essencis S.A.; empresa que assumiu o CTR-Caieiras da antiga empresa CAVO.

Inicialmente, gostaria de dizer que o site de vocês está muito bom e bastante interessante.

Porém, recebemos uma mensagem proveniente do e-mail:[email protected]

falando a respeito de nossa unidade. Existe uma grande diferença entre Lixão e Aterro Sanitário (CTR/Caieiras), ou seja num Lixão você não tem nenhum controle ambiental, portanto os gases são liberados sem tratamento para a atmosfera, o chorume é liberado ao meio ambiente sem tratamento, etc. Diferentemente o CTR/Caieiras está equipado com distintas tecnologias capazes de evitar qualquer tipo de contaminação dos seres humanos e do meio ambiente. Nessa época do ano é mais difícil para se operar o Aterro Sanitário; sobretudo pelo excesso de chuva, variações na direção dos ventos e dificuldade de material seco para se realizar a cobertura do resíduo (lixo); assim, eventualmente aumenta a probabilidade de ocorrência de odor. Se vocês quiserem estamos a disposição para recebê-los em nossa unidade daqui de Caieiras para mostrarmos nosso sistema operacional.

 

Saudações;

 

Obs.: Preciso de um número para contato.

 

Giovano Candiani - Ecólogo e Ouvidor Ambiental

CTR/Caieiras

4442-7329.


O Estado de São Paulo

Leia outras matérias desta seção
 » Lei que criou o lixão
 » O Lixão e as deliberações esquecidas do Consema
 » A Essencis em Santa Catarina
 » SP planeja aterro ao lado da Cantareira
 » Caieiras Receberá Mais Lixo?
 » Lixão da Cavo recebe 70,83 toneladas dia de resíduos perigosos
 » Denúncia enviada ao Ministério Público
 » Inquérito Civil Público
 » Lixão, onde está a verdade?
 » Aqui pode na Bélgica não
 » Lixão da cavo: quem são os responsáveis, a ação civil pública que explica tudo!
 » Lei Nº 2676
 » Vereadores que aprovaram a Lei do lixão
 » A Ação Civil Pública movida pelo Dr. João Carlos Calsavara - promotor de justiça e o seu melancólico fim na justiça
 » Lixão da cavo: Terra do Rio Tietê vem para Caieiras
 » Juiz proíbe Rhodia de enviar lixo tóxico à BA
 » Caieirenses voltam a se manifestar contra o “Lixão”
 » De cidade dos pinheiros a cidade dos lixões
 » Ponto Final na questão do lixo em Caieiras
 » Novo milênio traz C.T.R. para Caieiras
 » Vereadores definem a instalação do C.T.R.
 » Votação do Projeto de lei pode ser adiada
 » Mudança da lei pode livrar Caieiras
 » Fim do Lixão será votado no dia 20
 » Carta de Edson Navarro para Stelio L. Pessanha
 » Lixão em Caieiras: uma grande polêmica
 » Caieiras pode ser...
 » Caieiras poderá ter o maior lixão de SP
 » Opinião de alguns moradores que se manifestaram: Não ao Lixão
 » Aterro Sanitário: Lixo Cria Polêmica na Cidade de Caieiras

 

Voltar