» Colunas » Saúde

22/02/2010
Tratamento periodontal para diabéticos

Noticias

São 50 vagas para pessoas com quadro de diabetes
10/2/2010 - Segs

São 50 vagas para pessoas com quadro de diabetes. Inscrições devem ser feitas por telefone

A Universidade Guarulhos (UnG) seleciona pacientes com diagnóstico de diabetes para avaliação clínica e tratamento periodontal gratuitos. A iniciativa faz parte dos estudos do Programa de Pós-Graduação em Odontologia da Instituição, que busca evidencias sobre a prevalência da periodontite, doença que tem como sintomas sangramento da gengiva, presença de cálculo dentário (tártaro), dentes moles e mau hálito.

Os interessados devem se inscrever pelo telefone (11) 2464-1674. Os atendimentos acontecerão na Clínica de Odontologia da UnG, localizada em Guarulhos, na Grande São Paulo. As inscrições serão aceitas até as 50 vagas serem preenchidas.

A técnica utilizada para a avaliação do efeito das terapias é chamada “Checkerboard DNA-DNA hybridization”, realizada em poucos laboratórios no mundo, entre eles o Laboratório de Microbiologia e Biologia Molecular da UnG.

Serviço
Clínica de Odontologia da UnG
Ladeira Campos Sales, 10, Centro, Guarulhos
 

portaldiabetes

Leia outras matérias desta seção
 » Vacinação: Perguntas e Respostas
 » Coronavírus :em nossas UTIs as mortes são altas
 » Melatonina uma muralha contra o covid19 no pulmão
 » Coronavírus: A nova variante mais contagiante
 » Coronavírus: Cientistas da USP fazem um panorama da situação
 » Alimentos que reduzem o colesterol e o triglicérides
 » Droga experimental pode reverter problemas na memória
 » Teste do covid19 pela saliva
 » Coronavírus: inflamassomas
 » O calor veio para ficar
 » Artrite reumatóide x hemopressina
 » Cirurgia combinada catarata mais buraco macular
 » Coronavírus o que temos hoje para combater
 » Própolis vermelha é anticancerígena
 » Catarata: proteína pode estar ligada a ela
 » Coronavírus: Vitamina D ajuda
 » Bactérias da Antartica contra o câncer
 » Corticóides contra o coronavírus
 » Zolgensma o absurdo de US$ 2 milhões
 » Com tratamento precoce risco de morte cai


Voltar