» Colunas » Saúde

22/06/2010
Vinho tinto é bom para diabéticos, em pequenas doses

Noticias

Nutrição e Diabetes
21/6/2010 - UOL

Na antigüidade, usava-se o vinho como um estimulante geral. Ervas medicinais eram colocadas em vinho diluído com água e a bebida era considerada um antidepressivo natural, uma espécie de "tranqüilizante". Servia aos que tinham insônia, também ajudava a cicatrizar feridas e era um poderoso biotônico. Enfim, livros de ciência e de história estão repletos de citações sobre as qualidades medicinais do vinho tinto. Mas foi só muito recentemente que se descobriu uma substância química chamada revesratrol.

As descobertas iniciais deram conta dos efeitos de antienvelhecimento e de prolongamento da vida causados pela bebida. O revesratrol colocado em colônia de fungos praticamente dobrava a vida destes organismos primitivos. Em seguida os pesquisadores resolveram fornecer revesratrol a um determinado tipo de verme, C. elegans e notaram que ele passou a viver cerca de 50% mais tempo. Em seres humanos o revesratrol estimula enzimas celulares que são essenciais ao "reparo e conserto" do nosso DNA e prolonga, desta forma, a vida das células. Provavelmente o revesratrol é um medicamento natural para aumentar o HDL (colesterol bom) e abaixar o colesterol ruim (LDL-colesterol).

A bebida e os diabéticos

Como é bastante conhecido, o diabetes aflige principalmente os mais idosos. Muitos destes indivíduos já eram obesos (ou tinham excesso de peso) e conheciam o fato de que seus ancestrais, além de parentes próximos, tinham evoluído para o diabetes. Na maior parte dos casos existe o que se chama de Resistência à Ação de Insulina. A gordura excessiva, acumulada nos músculos, no fígado, "na barriga" como gordura visceral impede que a insulina faça o que sempre fez, isto é, transportar o açúcar do sangue para dentro das células musculares e das células adiposas. Mas o excesso de gordura cria uma situação paradoxal: o músculo, cheio de gordura, não deixa insulina agir.

Isso faz com que a insulina se eleve no sangue – é a chamada Resistência à Insulina. O remédio natural é perder peso, fazer dieta, aumentar a intensidade e freqüência dos exercícios. Mas o ser humano, com pouca ou nenhuma vontade de mudar os seus hábitos vai logo à pergunta: "Mas doutor não há um remédio para melhorar a situação?" Claro que existem medicamentos que melhoram as circunstâncias para que a insulina passe a agir no seu papel principal: fazer entrar a glicose nos músculos. Outras drogas estimulam a produção de insulina pelo pâncreas e desta forma conseguimos controlar o diabetes. Mas e o vinho, como entra nesta história?

O revesratrol é poderoso aliado da insulina

A glicose é o combustível mais rápido, fácil e acessível para prover o músculo de energia. Para entrar na célula muscular, a glicose precisa de um "empurrão" da insulina. A insulina faz com que a glicose entre em uma espécie de ônibus chamado de GLUT 4 (glicose transportador 4). Neste ponto é que entra o revesratrol. Em experiências realizadas em ratos demonstrou-se que os transportes da glicose desde a circulação até os locais onde poderia servir de energia para o músculo eram facilitados pelo revesratrol.

Em ratos tornados diabéticos o revesratrol ajudou a "baixar" o açúcar elevado na circulação, pois estimulou o transporte de glicose pelo GLUT 4.

Mais recentemente pesquisadores de uma Universidade de Cleveland, nos Estados Unidos, indicaram que o revesratrol proporciona o efeito de aumentar a captação de glicose em células colocadas em cultura. Daí veio a idéia: se o revesratrol é tão bom para estimular a entrada e transporte de glicose em células humanas, por que não transformá-lo em um medicamento? É exatamente isso que várias indústrias farmacêuticas estão tentando: buscar um análogo do revesratrol que possa ajudar no controle do diabetes. Mas por enquanto a recomendação seria: diabéticos do mundo todo, vamos ao consumo MODERADO do vinho tinto, repleto de revesratrol, e muitas outras qualidades fisiológicas que o faz indispensável à mesa. Converse com seu médico sobre o que pode ser uma dose adequada para seu caso.


Leia outras matérias desta seção
 » Luz infravermelha terapeutica
 » Osteoporose tem novo medicamento
 » Iluminação artificial aumenta o risco de câncer e depressão
 » Calcinhas menstruais absorventes
 » DNA seria um biocomputador ?
 » Laringite
 » Tratamentos fúteis e degradantes
 » Bicarbonato desintoxica a Maçã
 » Febre Amarela Vacinação tem contra indicações
 » Como se Livrar de Catarro na Garganta
 » Imã de mosquito
 » Mal de Parkinson: nova droga
 » Ibuprofeno e Diclofenato podem parar o coração
 » Gordura no Fígado x açucar
 » Estudo da USP usa planta para matar células infectadas com HIV
 » Carboidrato: pior para o coração
 » Enxaqueca x mandíbula x crânio
 » Fome celular leva à metástese
 » 10 coisas que você jamais deve usar no avião
 » Sexo oral e a supergonorréia


Voltar