» Colunas » Saúde

09/06/2011
Interleucina-6 para prevenir danos da retinopatia

Noticias

Pesquisa
5/6/2011 - Fonte:

Cientistas americanos vão testar anticorpo interleucina-6 para prevenir danos causados pela retinopatia diabética

Pesquisadores da Faculdade de Medicina da Geórgia descobriram que um mediador inflamatório chave para os efeitos de cegueira provocada pela retinopatia diabética está apontando para um novo tratamento potencial.

Interleucina-6, conhecida por contribuir para a inflamação debilitante comum de artrite reumatóide, também ajuda a acender a inflamação da retina, um primeiro passo para uma doença que é a principal causa de cegueira entre adultos em idade ativa.

A constatação fez os cientistas olharem se o anticorpo interleucina-6, que está mostrando o sucesso no tratamento da artrite reumatóide, pode interromper a inflamação em ratos com retinopatia diabética. "Esperamos que este anticorpo neutralizante possa ser usado para tratar a retinopatia diabética, no futuro," disse Wenbo Zhang, cientista assistente da pesquisa em Biologia Vascular. Zhang e Modesto Rojas, pós-doutorado sênior, são co-autores do estudo.

Angiotensina II, um potente constritor dos vasos sanguíneos é tipicamente associado com os rins, onde desempenha um papel fundamental na regulação da pressão arterial. Os cientistas suspeitam que angiotensina II ajuda a promover a cicatrização de feridas e regulação da pressão dentro dos vasos sanguíneos pequenos do olho.

" No entanto, no diabetes, os níveis de angiotensina II no olho aumentam - provavelmente em resposta aos altos níveis de glicose - e ajudam a promover a inflamação, estimulando a remodelação dos vasos sanguíneos e a destruição dos tecidos" , disse Rojas. "A inflamação vascular é um dos primeiros passos para induzir as alterações na retina."

" Cientistas mostraram que a interleucina-6 é um cúmplice necessário previamente cujos níveis indetectáveis no olho aumentam também", disse Ruth Caldwell, bióloga celular do Centro de Biologia Vascular e autora correspondente do estudo.

Com a ajuda de interleucina-6, angiotensina II induz as células brancas do sangue a furarem as células endoteliais que revestem os vasos sanguíneos da retina, o que retarda o fluxo do sangue. Os glóbulos brancos também começam a produzir fatores de crescimento vasculares e inflamatórios que fazem as paredes do vaso sanguíneo vazarem e se engrossarem, restringindo o fluxo sangüíneo. Células da retina começam a morrer a partir da redução do sangue e do suprimento de oxigênio. Em resposta, o organismo pede o crescimento de novos vasos sanguíneos, supostamente para ajudar, mas eles acabam provocando maior comprometimento da visão.

Os cientistas querem agora ver se o anticorpo interleucina-6 pode ser usado para prevenir os danos, sendo usado logo após o aparecimento de diabetes em roedores e como tratamento mais tarde no processo da doença.




Leia outras matérias desta seção
 » Bactéria da gonorreia está mais resistente
 » Água viva - Caravela portuguesa podem matar
 » Aspirina, AAS novos estudos
 » Viciados em videogames-Coletânea
 » Ponte de Safena e stents não são melhores que medicamentos
 » Nova droga pode reverter Demência
 » Doença grave x Espiritualidade
 » Insônia
 » Stents-bypass ou medicamentos ?
 » Própolis verde
 » Exames de sangue para que servem
 » Exame de Urina tipo 1
 » Estatinas aumentam risco de osteoporose
 » Diabetes tipo 2 - protocolo oficial da SBD - 2019
 » Cocô ! Tratado Geral
 » Dieta Cetogênica
 » Manteiga Ghee como fazer
 » Coração x Café
 » Câncer x Café
 » Terapia anti-câncer CAR-T - USP


Voltar