» Colunas » Saúde

20/01/2012
Alterações na pele e Diabetes .

O diabetes mellitus pode afetar qualquer parte do organismo, incluindo a pele. O quadro de hiperglicemia crônica pode levar à formação de complexos protéicos alterados (glicosilados) nas camadas da pele, propiciando o aparecimento de lesões.

Há vários problemas de pele que são mais freqüentes em pacientes com diabetes quando comparados à população em geral. Estas doenças da pele podem ser causadas pelo diabetes ou, em alguns casos, acentuadas pela condição (hiperglicemia crônica). Algumas vezes essas alterações são os primeiros sinais de que o indivíduo está com diabetes.

Antes do advento do tratamento com insulina, os quadros cutâneos infecciosos mais intensos eram vistos com maior freqüência, tais como furúnculos e erisipela.

Vários destes problemas na pele podem ocorrer em qualquer pessoa, mas são mais freqüentes nos pacientes com diabetes, tais como infecções por bactérias ou fungos (micoses), especialmente nas unhas e no trato urogenital. Alguns exemplos são discutidos abaixo:

Dermopatia diabética
A dermopatia diabética é uma das alterações de pele mais freqüentes nessa população. Trata-se de uma lesão cutânea secundária à má perfusão sanguínea dos pequenos vasos que irrigam a pele. As lesões são caracterizadas por pequenas áreas atróficas, ovais ou circulares, que algumas vezes são confundidas com "manchas da idade". A região da frente das pernas (tornozelos) é a mais acometida. Não são lesões dolorosas ou ulcerativas e, em geral, não necessitam de tratamento, pois não são problemáticas para a saúde.

Acanthosis nigricans
Acanthosis nigricans é uma condição em que aparecem áreas escurecidas na região da nuca ou axilas, podendo, mais raramente, ocorrer em outras partes do corpo. Na maior parte dos casos estas manchas aparecem em indivíduos que estão acima do peso, refletindo o quadro de resistência à insulina. A redução de peso é o tratamento de escolha.

Sugestões para manter o bem-estar da pele nos pacientes com diabetes
• Manter o diabetes bem controlado, o que protege contra vários problemas, como infecções
• Manter a pele hidratada, mas sem umidade. O uso de talco pode ser útil em algumas regiões
• Manter bem seca a região entre os dedos dos pés
• Evitar retirar a cutícula e cortar as unhas de preferência em uma linha reta
• Evitar banhos com água muito quente
• O uso de creme hidratantes deve ser discutido com o médico
• Procure um dermatologista caso note alguma alteração de pele


Fleury

Leia outras matérias desta seção
 » Bactérias da Antartica contra o câncer
 » Corticóides contra o coronavírus
 » Zolgensma o absurdo de US$ 2 milhões
 » Com tratamento precoce risco de morte cai
 » Colchicina age contra o coronavírus
 » Tuberculose novos fármacos para o futuro
 » Coronavírus: perda repentina do olfato
 » Coma Ovo.....ou não ?
 » Guaraná contra o diabetes tipo 2
 » Nova terapia para o mal de Parkinson
 » Coronavírus são seis tipos com sintomas diferentes
 » Coronavírus: teste pelo plano de saúde
 » A pandemia e a depressão em crianças
 » Coronavírus x tipo sanguineo
 » Pomada para feridas diabéticas
 » Coronavírus:Omega 3 x Covid19
 » Reumatismo e seus vários tipos
 » Colesterol alto x coronavírus
 » Coronavírus:Imunidade cruzada
 » Coronavírus: Porque os Diabéticos correm mais risco


Voltar