» Colunas » Saúde

19/03/2012
Anvisa interdita lote de remédio contra diabetes.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) interditou cautelarmente, em todo o país, o lote 06675335 do medicamento Teutoformin (Cloridrato de Metformina) 850mg, comprimidos. O remédio, usado no tratamento de diabetes, apresentou resultado insatisfatório no ensaio de Aspecto. O produto é fabricado pelo Laboratório Teuto Brasileiro S/A.
 


A interdição cautelar vale pelo período de 90 dias após a data de publicação no Diário Oficial da União, que saiu na quinta-feira, 15 de março. Durante esse tempo, o produto interditado não deve ser consumido nem comercializado.

 

Fabricantes

Também no Diário Oficial de quinta-feira, a Anvisa publicou a suspensão da fabricação, comércio e uso, em todo o país, de todos os produtos sujeitos à vigilância sanitária fabricados pelas empresas E.L Silva Mercearia e V. B. Silva e Souza ME. As empresas não têm Autorização de Funcionamento e seus produtos não têm registro na Anvisa.

 

A suspensão é definitiva e tem validade imediata. Uso de medicamentos desses fabricantes que já tenham sido adquiridos deve ser interrompido, orienta a agência.


Zero Hora .

Leia outras matérias desta seção
 » Vacinação: Perguntas e Respostas
 » Coronavírus :em nossas UTIs as mortes são altas
 » Melatonina uma muralha contra o covid19 no pulmão
 » Coronavírus: A nova variante mais contagiante
 » Coronavírus: Cientistas da USP fazem um panorama da situação
 » Alimentos que reduzem o colesterol e o triglicérides
 » Droga experimental pode reverter problemas na memória
 » Teste do covid19 pela saliva
 » Coronavírus: inflamassomas
 » O calor veio para ficar
 » Artrite reumatóide x hemopressina
 » Cirurgia combinada catarata mais buraco macular
 » Coronavírus o que temos hoje para combater
 » Própolis vermelha é anticancerígena
 » Catarata: proteína pode estar ligada a ela
 » Coronavírus: Vitamina D ajuda
 » Bactérias da Antartica contra o câncer
 » Corticóides contra o coronavírus
 » Zolgensma o absurdo de US$ 2 milhões
 » Com tratamento precoce risco de morte cai


Voltar