» Colunas » Saúde

09/10/2012
Mastigação é aliada do emagrecimento.

Mastigação é aliada na perda de peso

Na busca quase eterna por boa forma e qualidade de vida, a alimentação adequada é fundamental. Mas, além de se preocupar com a ingestão de alimentos saudáveis e nutritivos, uma das primeiras dicas para quem quer perder peso é mastigar devagar. Isso faz com que se coma menos, já que a sensação de saciedade chegará antes de se comer mais do que o necessário. Isso porque o organismo leva de 15 a 20 minutos para avisar o cérebro de que está saciado.

“A mastigação lenta proporciona uma comunicação efetiva entre estômago e cérebro, fazendo com que haja maior liberação de hormônios de saciedade e também aumente a percepção de quando se está realmente satisfeito. Com isso, há uma menor ingestão de alimentos durante a refeição e, consequentemente, o controle do peso”, explica Bruna Chagas Petrungaro, nutricionista. No caso de alimentos muito sólidos – especialmente as carnes bovinas –, o ideal é mastigar pelo menos 30 vezes antes de engolir.

De acordo com a nutricionista, ao mastigar devagar, os alimentos se mantêm por mais tempo em contato com as papilas gustativas presentes na língua. Como é por meio delas que se sente o sabor, quanto mais mastigações, maior será a apreciação do alimento e o estímulo das papilas. Logo, maior também será a percepção da saciedade. “O processo de digestão inicia-se pela boca. Com uma mastigação correta, a produção de saliva é mais eficiente, o que ajuda a formar um bolo alimentar mais macio e fácil de ser deglutido. Se os alimentos não forem triturados adequadamente, aumenta o trabalho do estômago para digerir, o que resulta em desconforto gástrico, azia, fermentação e gases”, destaca Bruna Chagas Petrungaro.

Abaixo, seguem algumas dicas da nutricionista para melhorar a digestão:

- Descansar os talheres no prato a cada mastigação

- Colocar pouca comida no garfo

- Escolher um local calmo e tranquilo

- Evitar realizar outras atividades durante a refeição (como ver TV, ler jornal, acessar internet, etc)

- Iniciar a refeição com um prato ou porção de salada. Enquanto mastiga lentamente as verduras e legumes, a pessoa ganha tempo para que a mensagem de saciedade chegue ao cérebro e reduz-se a chance de repetir, por gula, o prato quente.

- Limitar a ingestão de líquido como acompanhamento da refeição a um copo de 200 ml. Dê preferência a água sem gás ou sucos naturais. Além de atrapalhar a digestão, o excesso de bebida no almoço ou jantar pode aumentar o volume do estômago, fazendo com que a pessoa consuma uma maior quantidade de alimentos.

Serviço:
www.esteticanaka.com.br

Veja mais sobre o assunto em nossas colunas de
Nutrição com Dra. Rosana Farah,
Por Dentro do Alimento com a Nutricionista Nicole Valente e
Pediatria com Dr. Mauro Fisberg
Fitoterapia com Dra. Vanderli Marchiori


Sentir Bem

Leia outras matérias desta seção
 » Melatonina uma muralha contra o covid19 no pulmão
 » Coronavírus: A nova variante mais contagiante
 » Coronavírus: Cientistas da USP fazem um panorama da situação
 » Alimentos que reduzem o colesterol e o triglicérides
 » Droga experimental pode reverter problemas na memória
 » Teste do covid19 pela saliva
 » Coronavírus: inflamassomas
 » O calor veio para ficar
 » Artrite reumatóide x hemopressina
 » Cirurgia combinada catarata mais buraco macular
 » Coronavírus o que temos hoje para combater
 » Própolis vermelha é anticancerígena
 » Catarata: proteína pode estar ligada a ela
 » Coronavírus: Vitamina D ajuda
 » Bactérias da Antartica contra o câncer
 » Corticóides contra o coronavírus
 » Zolgensma o absurdo de US$ 2 milhões
 » Com tratamento precoce risco de morte cai
 » Colchicina age contra o coronavírus
 » Tuberculose novos fármacos para o futuro


Voltar