» Colunas » Saúde

Diabéticos transplantados cortam insulina

Três dos quatro pacientes de Ribeirão Preto que se submeteram ao transplante de células-tronco maduras não estão mais utilizando insulina e os níveis de glicemia têm se mantido normais.
Eles participam de uma pesquisa inédita no mundo para diabetes do tipo 1, que atinge jovens e requer aplicações de insulina. Outros oito pacientes devem participar da pesquisa que está sendo coordenada pelo professor de imunologia da Universidade de São paulo (USP) Júlio Voltarelli.

Segundo a hematologista Marina Coutinho, da equipe de Voltarelli, um dos pacientes continua aplicando insulina, mas ela acredita que isso acontece porque o transplante foi feito tardiamente. Marina explica que para o sucesso do transplante ele deve ser feito até seis semanas após o diagnóstico médico. "Após este período, as células do pâncreas responsáveis pela produção de insulina podem já estar destruídas", diz.

A médica salienta, no entanto, que o fato de os três pacientes terem deixado de usar insulina não significa que eles estão curados. O transplante mais antigo tem cerca de um ano e é preciso um período mais longo para que o resultado seja considerado de sucesso.

Apesar do ineditismo, a experiência de Ribeirão Preto está ainda no começo. Por ser um protocolo inicial, não há um período definido de observação. Em outras doenças, o período é de aproximadamente cinco anos. Os pacientes continuarão sendo observados para verificar se os níveis de glicemia permanecem normais.

Júlio Voltarelli diz que não se trata de cura, mas o resultado obtido até agora mostra que o sistema imunológico parou de destruir as células do próprio paciente e injetadas em sua jugular.


O Estado de S. Paulo

Leia outras matérias desta seção
 » Corona: Mentiras e Verdades
 » Stress como lidar com ele
 » Coronavirus - novas notícias
 » Perda de Ossos:droga promissora
 » Cuide do seu coração
 » Hanseníase (Leprae) em alta
 » Câncer: mais uma esperança
 » Bactéria da gonorreia está mais resistente
 » Água viva - Caravela portuguesa podem matar
 » Aspirina, AAS novos estudos
 » Viciados em videogames-Coletânea
 » Ponte de Safena e stents não são melhores que medicamentos
 » Nova droga pode reverter Demência
 » Doença grave x Espiritualidade
 » Insônia
 » Stents-bypass ou medicamentos ?
 » Própolis verde
 » Exames de sangue para que servem
 » Exame de Urina tipo 1
 » Estatinas aumentam risco de osteoporose


Voltar