13/01/06
Você é Você? Tem Certeza?

Qualquer pessoa se sente sabendo quem e como é, talvez porque temos um nome dado por outros, um rosto diferente, impressões digitais particulares e um número de registro geral (RG). Mas são pertinentes ao nosso corpo e não refletem quem e como somos na realidade. Nascemos no seio de uma família e apesar da hereditariedade genética, somos diferentes de nossos pais e irmãos. Cada um adquire uma personalidade diferente do outro. Caráter também é outro fator diferenciador entre pais e filhos e irmãos.
Embora se vive muito tempo no mesmo ambiente com outros da mesma família, não é igual o condicionamento de cada um, pois, as atitudes, comportamentos e os pensamentos e opiniões, também não são iguais, mesmo se são coincidentes algumas vezes.

Pelo decorrer da vida e se ela é um teatro e todos nós somos atores como disseram alguns filósofos, se deixássemos de ser atores será que nós nos veríamos como somos na realidade? Segundo aqueles filósofos de outrora, nós sempre estamos representando. Só a sós sem se estar vigiado, nós somos nós mesmos com nossos trejeitos e nossos pensamentos. Daí, a gente se lembra de lembrar dos pensamentos se pensamentos são nossos mesmo ou se os captamos de outros que estão pela atmosfera. Seria mesmo?

Nós, como seríamos originais mesmo com pensamentos originais? Alguém já se viu assim? Eu ainda não, tudo o que penso ou já pensei já foi pensado por outros.
Então, eu como eu mesmo, acho que não existo. Que merda!
Ao falar com alguém eu diria: se você sabe que você é você, isso me traria inveja.
EUREKA! Descobri, eu existo sim. Porém, eu não sou eu mesmo, eu sou nós e nós sou eu, eu sou vocês e vocês são eu e ainda bem, vocês são legais, bonitos, inteligentes e honestos. Nunca mais me sentirei sozinho e nem direi isso.
Puxa-vida, isto foi mesmo um devaneio sem reflexão.
Esta mania de viver coçando o saco resulta nisso.


Altino Olímpio

Leia outras matérias desta seção
 » A incógnita continua
 » A reencarnação
 » Recordar é reviver
 » O melhor amigo vai chegar
 » Coisas da vida
 » A raça preferida
 » Detector de mentiras mundial
 » Espetáculo inesquecível
 » Os bons princípios dos velhos anos novos
 » O Marcolino
 » Que tal o Natal de agora?
 » Nenhuma praça havia
 » Somos o que pensamos?
 » Se não fosse os outros...
 » Fluxo de sensibilidade
 » Será que a vida é uma ilusão?
 » A marca da besta
 » Convém não pensar
 » Adeus dia de Finados
 » Conversa ocasional

Voltar