26/01/2006
Vocês Sabiam

Vocês sabiam que o nosso nada fazer é à força de nossa ociosidade que nos faz criticar os que fazem?

Vocês sabiam que a caravana cada vez mais vazia passa por cada vez mais cachorros latindo?

Vocês sabiam que uma “lei oculta” afasta pessoas daquilo para que não estejam preparadas?

Vocês sabiam que os que fazem ficam em desvantagem diante dos que não fazem porque eles nada possuem para serem criticados como os que fazem?

Vocês sabiam que quando uma pessoa não identificável se imiscui entre outros ela é um vírus entre os identificáveis?

Vocês sabiam que às vezes criticamos alguém por ele ter abortado questões que seria de nossa obrigação perceber mas não temos capacidade?

Vocês sabiam que consideramos loucos aqueles que se sobressaem de nossas trivialidades, futilidades e do nosso sermos só o comum de nossos cotidianos?

Vocês sabiam que os que fazem fazem por muitos que não fazem e mesmo assim alguns não sabem o que fazem com o que fazem os outros que fazem?

Vocês sabiam que os que fazem não sabem para quem fazem e se o que fazem não é particularmente dirigido a um de nós quem somos nós sendo o um para representar todos com a opinião crítica sobre o que outros fazem e tendo a infantilidade de pensar que todos terão a nossa mesma opinião e somos de igual nível intelectual e por isso descarregamos a nossa opinião numa puerilidade que fará outros perceberem nossa incapacidade de assimilarmos as mensagens dadas pelos outros que fazem e tais mensagens nem são dirigidas a nós que como individualidade a ter opinião esta foragida das questões que exercem exercícios ao cérebro e é covarde para polêmicas que vão contra o adorado condicionamento formado pelos despejos de outros e por ser ciumento tal condicionamento impede condicionamentos outros que possam ser compatíveis a mesmo nível para aceitarem ou refutarem “paradoxos” vindo dos que fazem e assim quando em individualidade criticamos alguém que faz podemos deixar transparecer resquícios Ancestrais ainda não solucionados no nosso viver e eles nos levam a xingar alguém que faz com um nome que generaliza o restante de suas vidas e elas podem ser muito mais exemplares do que a nossa e quando elas fazem mesmo sendo inutilidades fazem muito por nós por não querermos repetir suas inutilidades para podermos ter as nossas ao criticá-los ou sermos utilidade se ao criticarmos os que fazem formalizamos por escrito e assinamos o que conseguirmos destacar como incoerências e assim poderíamos colaborar com eles e seríamos aceitos dentre os que fazem e é isso aí.


Altino Olímpio

Leia outras matérias desta seção
 » Se não fosse os outros...
 » Fluxo de sensibilidade
 » Será que a vida é uma ilusão?
 » A marca da besta
 » Convém não pensar
 » Adeus dia de Finados
 » Conversa ocasional
 » Por que viemos ao mundo?
 » O passado convive com o presente
 » Os traídos e os traidores
 » Os exagerados do Youtube
 » Os que não sabem são os que mais sabem
 » Brasil, fonte do saber
 » Seres humanos que muito irritam
 » A Torre de Babel brasileira
 » Pegando pesado
 » Pensamentos lúcidos
 » O diálogo entre um Ateu e um Espírita
 » O gostar de alguém sem o alguém saber
 » Má temática da vida

Voltar