26/01/2006
Verdade Anônima

Muitos, tendo se libertado das mentiras, eles deixam de se associarem com aqueles das mentiras e nem se associam com os “descobridores” delas como mentiras. Digamos, eles vivendo suas verdades, vivem separados sem se comunicarem, não fundam instituições legalizadas para reunirem milhares de pessoas em auditórios, cada um deles tendo um palco, donde, possam ser disseminadas as suas verdades.
Então, os possuidores de verdades, talvez por serem egoístas e gostarem de ver os “semelhantes” perdidos nas mentiras, ---o que é engraçado---, eles relaxam as verdades, descuidam-se delas e elas parecem ficar anônimas, existentes em quem só para si cuida delas. Como desprezadas, as verdades não têm seus “porta-vozes” como as mentiras têm tantos e tantos as ouvem.
Analisando melhor, as verdades parecem ser frias, simples, tão sem atrativos. Elas não atrairiam público para assisti-las como consegue as mentiras e seus espetáculos.

Assim é a situação, a verdade nada faz para se promover enquanto a mentira tudo faz, até música compôs para emocionar seus simpatizantes. Uma grande parte deles, apaixonados por mentiras, fanáticos então, a defendem com unhas e dentes, brigam por elas, mas, pelo menos não são egoístas, sempre estão a convidar outros para se reunirem e ouvi-las.
A mentira se organizou, se especializou e dentro da lei se institucionalizou, sendo inabalável suas “estruturas” até contra terremotos de opiniões.
A verdade não! Vagabunda sem vergonha, biscatona, não quer nada com nada, nunca é registrada, vive na informalidade, não promove espetáculos, não consola ninguém, nenhum livro editou nem ídolo inventou, vive só com quem quer viver com ela, nada faz para se multiplicar, vive escondida e quando aparece só cria repulsa, a verdade é uma desmancha prazeres. Quem terá sido o cara-de-pau que inventou a verdade? Só podia estar bêbado.


Altino Olímpio

Leia outras matérias desta seção
 » Se não fosse os outros...
 » Fluxo de sensibilidade
 » Será que a vida é uma ilusão?
 » A marca da besta
 » Convém não pensar
 » Adeus dia de Finados
 » Conversa ocasional
 » Por que viemos ao mundo?
 » O passado convive com o presente
 » Os traídos e os traidores
 » Os exagerados do Youtube
 » Os que não sabem são os que mais sabem
 » Brasil, fonte do saber
 » Seres humanos que muito irritam
 » A Torre de Babel brasileira
 » Pegando pesado
 » Pensamentos lúcidos
 » O diálogo entre um Ateu e um Espírita
 » O gostar de alguém sem o alguém saber
 » Má temática da vida

Voltar