26/01/2006
Verdade Anônima

Muitos, tendo se libertado das mentiras, eles deixam de se associarem com aqueles das mentiras e nem se associam com os “descobridores” delas como mentiras. Digamos, eles vivendo suas verdades, vivem separados sem se comunicarem, não fundam instituições legalizadas para reunirem milhares de pessoas em auditórios, cada um deles tendo um palco, donde, possam ser disseminadas as suas verdades.
Então, os possuidores de verdades, talvez por serem egoístas e gostarem de ver os “semelhantes” perdidos nas mentiras, ---o que é engraçado---, eles relaxam as verdades, descuidam-se delas e elas parecem ficar anônimas, existentes em quem só para si cuida delas. Como desprezadas, as verdades não têm seus “porta-vozes” como as mentiras têm tantos e tantos as ouvem.
Analisando melhor, as verdades parecem ser frias, simples, tão sem atrativos. Elas não atrairiam público para assisti-las como consegue as mentiras e seus espetáculos.

Assim é a situação, a verdade nada faz para se promover enquanto a mentira tudo faz, até música compôs para emocionar seus simpatizantes. Uma grande parte deles, apaixonados por mentiras, fanáticos então, a defendem com unhas e dentes, brigam por elas, mas, pelo menos não são egoístas, sempre estão a convidar outros para se reunirem e ouvi-las.
A mentira se organizou, se especializou e dentro da lei se institucionalizou, sendo inabalável suas “estruturas” até contra terremotos de opiniões.
A verdade não! Vagabunda sem vergonha, biscatona, não quer nada com nada, nunca é registrada, vive na informalidade, não promove espetáculos, não consola ninguém, nenhum livro editou nem ídolo inventou, vive só com quem quer viver com ela, nada faz para se multiplicar, vive escondida e quando aparece só cria repulsa, a verdade é uma desmancha prazeres. Quem terá sido o cara-de-pau que inventou a verdade? Só podia estar bêbado.


Altino Olímpio

Leia outras matérias desta seção
 » Mas que falta de consideração
 » Nada como poder falar e aparecer
 » Minhas andanças por ai
 » Agora temos contatos, mas não com tatos
 » Quem sabe, sabe e conhece bem
 » A enganação parece eterna
 » A grande fraternidade branca
 » Os dias que sempre nos esperam
 » Frases ou lembranças que me chegam
 » O paraíso perdido
 » Penso, logo existo. jargão antigo
 » Os ladrões do tempo
 » A sacanagem não muda
 » Para os que não pensam pensarem
 » Não é tudo que o tempo modifica
 » O braço direito do homem
 » O inexplicável sentido da vida
 » Tempos e contratempos
 » Raciocinar cansa muito
 » Se formos o que pensamos...

Voltar