04/04/2006
Devaneios - Parte 1

Estava dormindo e num susto ouvi uma voz sendo-me dirigida:
---Hei, você! Vim te buscar. Venha comigo.
---NÃO, NÃO! Quem é você? Como entrou aqui? O que você quer?
---Sou teu guia para te levar numa experiência desejada por você.
---Não, não quero. Tenho medo. Vai embora! “Estarei tendo um pesadelo?”.
---Não é um pesadelo e não tenha medo. Vim facilitar a tua saída do corpo.
---Você está falando sobre projeção astral, sair mesmo do corpo?
---Sim. E você sabe do preparo necessário para isso. Relaxe-se e vou te ajudar.
... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ...
---Pronto! Viu como não foi difícil. Está gostando?
---Sim, mas, onde nós estamos?
---No plano mental.
---É mesmo? Estou vendo aquela casa bonita com um casal feliz. Isso é real?
---Você por acaso sabe o que seja real para perguntar se é real ou não? Entre o estar sonhando e estar acordado, entre o mundo mental e o mundo material, você tem certeza que só o estado acordado é real como também só o mundo material? A nível subconsciente existe diferença? Mas, o casal na casa bonita não pode estar feliz. É só vaidade. Continuam com ela no plano mental. Para que os empregados da casa? Poderiam mentalizar a casa toda em ordem sem a necessidade dessa humilhação imposta a outros colocados numa situação inferior de subordinados.
---É mesmo, não havia pensado nisso.
---E aquela outra pessoa, parece sempre estar dando alimento para os pobres. Tens algo a dizer sobre isso?
---Tenho, também é só vaidade. Porque se ver alimentando pobres aqui neste plano mental onde é fácil mentalizar ausência de pobreza? No plano objetivo, muita gente dá aos outros prognosticando recompensas para si mesmas e isso repetem aqui neste plano. Ainda não estão preparadas para um viver mental liberto do viver material.
---Mas, aquele outro, nada deves ter contra ele, pois, está sempre aos pés do Redentor.
---Claro que tenho! É egoísmo e vaidade também. Ele está sozinho com o mestre. Poderia também mentalizar outros com ele junto ao Redentor.
Em suas imaginações “comunicativas” com Deus ou Jesus, todos se vêem sozinhos com eles, por isso, assim se repetem neste plano.Bem! Chega dos exemplos deste plano mental.
---Por que? Aqui tudo é tão interessante.
---Nem tanto, o ideal de beleza do homem mais evoluído sempre será inferior perante o cósmico, porque, tudo que é humano é nutrido de desejo.

Altino Olímpio

Leia outras matérias desta seção
 » Fluxo de sensibilidade
 » Será que a vida é uma ilusão?
 » A marca da besta
 » Convém não pensar
 » Adeus dia de Finados
 » Conversa ocasional
 » Por que viemos ao mundo?
 » O passado convive com o presente
 » Os traídos e os traidores
 » Os exagerados do Youtube
 » Os que não sabem são os que mais sabem
 » Brasil, fonte do saber
 » Seres humanos que muito irritam
 » A Torre de Babel brasileira
 » Pegando pesado
 » Pensamentos lúcidos
 » O diálogo entre um Ateu e um Espírita
 » O gostar de alguém sem o alguém saber
 » Má temática da vida
 » Avenida Paulista amarelada

Voltar