10/04/2006
Curtinha Nº 1

Algumas curtinhas são para descansar o intelecto e decepcionar uma senhora amiga do Bairro Nova Caieiras, a Marlene Sávio. É leitora deste jornal (escritora também) e perde seu tempo com a página “Reflexões e Devaneios”, se descuidando de suas obrigações do lar e o pior, está devendo histórias antigas e poemas para este jornal.

O costume de praticar higiene mental é tão engraçado. Num local do Bairro de Perus, um pequeno comércio, sempre algum assunto interessante com o proprietário é interrompido por um freguês que nem pede licença e já vai soltando suas tão importantes predileções:
---Você viu o nosso, o time teu ontem? Aquele técnico está por fora. O fulano que foi contratado não fez bosta nenhuma. Eu sabia disso, o burro devia ter contratado o outro que é mais barato e tem mais raça.
E nesse assunto tão agradável e importante, o homem esticou demais a conversa e como ele não foi nada educado por não esperar outros terminarem seus assuntos:
---Escuta! Não querendo te interromper, qual era a cor da calcinha com que tua esposa foi dormir a noite passada?
---??? ... É, já vi que o senhor é brincalhão.
---Não é preciso responder eu sei a resposta. O senhor não se lembra, isso não te interessa, mas, de machos o senhor sempre se lembra e pelo visto entende bem deles, pois, sofre demais por eles.
---Hei espera aí! Não me diga que o senhor também não tem um time. Qual é o teu time?
---Nenhum, não vejo necessidade.
---Mentira, todo homem tem que ter uma mulher, uma religião e um time de futebol.
---Então eu não sou homem. Sou viúvo não tenho mulher, não tenho religião e nem um time de futebol para torcer por ele. Pra completar minha desgraça, nem de cerveja gosto.
---Então o senhor tá fudido, é melhor se matá.
---Tens razão, ah, ah, ah! Eu não tenho nada e o senhor tem tudo. Tem uma mulher que esconde a calcinha, tem uma religião e um time de futebol, nossa, como o senhor é rico. Estou morrendo de inveja.
---Vá, vá, vá! Bem, vou pra casa que hoje tem outro joguinho na tv e com cervejinha do lado. Boa-noite pra vocês.
---Boa-noite e volte sempre. O papo foi agradável. Eu também já estou indo.


Altino Olímpio

Leia outras matérias desta seção
 » Conversa ocasional
 » Por que viemos ao mundo?
 » O passado convive com o presente
 » Os traídos e os traidores
 » Os exagerados do Youtube
 » Os que não sabem são os que mais sabem
 » Brasil, fonte do saber
 » Seres humanos que muito irritam
 » A Torre de Babel brasileira
 » Pegando pesado
 » Pensamentos lúcidos
 » O diálogo entre um Ateu e um Espírita
 » O gostar de alguém sem o alguém saber
 » Má temática da vida
 » Avenida Paulista amarelada
 » Tempo e a submissão a ele
 » Os simples e os gênios da humanidade
 » História apavorante
 » É proibido e pecado se suicidar
 » O castigo existe?

Voltar