05/05/2008
Pequenos momentos

Pequenos Momentos

Frase extraída de um filme:

“Aproveite os pequenos momentos, não os deixe transcorrer despercebidos, porque, os grandes momentos são poucos e... Podem provocar transformações profundas”.

A vida é uma seqüência de pequenos momentos intercalados com poucos de grandes momentos. Pequenos momentos, assim os consideramos por serem comuns e não despertarem exaltações de espírito. Aqueles a provocar êxtase nós consideramos como grandes momentos. Na frase acima a ênfase está na preferência pelos pequenos momentos porque, mais constantes, mais são eles do nosso viver. Quantas e quantas vezes nossos momentos são importantes e nós lhes somos indiferentes porque são da rotina? Também, diariamente temos instantes de permeio com valores que quando surgiram foram considerados como grandes momentos, mas, a convivência com eles tornou-os comuns. Os grandes momentos quase sempre estão relacionados com a novidade e, quando repetidos deixam de ser. Nós somos assim, iguais às crianças quando ganham brinquedos. Nota-se nelas a euforia de um grande momento que logo vai deixando de ser no se acostumar com eles. A ausência de grandes momentos pode provocar monotonia num cotidiano sem surpresas e sem novidades. Isso leva muitas pessoas a sentir a vida sem atrativos se inconformando com ela e, essa insatisfação embrutece os sentidos atrapalhando-os na adaptação do viver na simplicidade, na ausência de momentos carregados de emoções a diferirem dos momentos sem. Intensidade de sensações é o que distingue os grandes dos pequenos momentos. Entretanto, quando o ser humano é despojado dos desejos das sensações, mais ele é equilibrado no seu viver e aceita-o sem sofrer.






Altino Olímpio

Leia outras matérias desta seção
 » Carnaval e mulheres bonitas
 » A missão na Vida
 » A incógnita continua
 » A reencarnação
 » Recordar é reviver
 » O melhor amigo vai chegar
 » Coisas da vida
 » A raça preferida
 » Detector de mentiras mundial
 » Espetáculo inesquecível
 » Os bons princípios dos velhos anos novos
 » O Marcolino
 » Que tal o Natal de agora?
 » Nenhuma praça havia
 » Somos o que pensamos?
 » Se não fosse os outros...
 » Fluxo de sensibilidade
 » Será que a vida é uma ilusão?
 » A marca da besta
 » Convém não pensar

Voltar