26/05/2008
Invasões estabelecidas


Muitos se encontram com seus estados de ser íntimo, desprotegido contra as invasões psicológicas impróprias e prejudiciais ao como por si mesmo cada um poderia e deveria ser. A trivialidade e a futilidade vigentes, elas são a coqueluche para qualquer idade. Já disseram ser um desígnio de Deus que o homem só aprende através da dor. Que destino esse, termos que sofrer para aprender? Por que não disseram também que cada um sofre por causa da ignorância que tem? Muitos se expõem a influências indecentes, iludidos sem saber como para seus futuros elas poderão ser conseqüentes.
Esse aceitar tudo que é duvidoso e é exposto esquecido que existe o oposto, isso na maturidade pode terminar em desgosto. Será quando o arrependimento fará sofrer e desse sofrer mais nada se tem a aprender porque já é tarde para mudar de proceder no viver quando ele é um vazio que não mais consegue se preencher. Sempre encontramos pela vida, pessoas de quase tudo esquecidas com seus pensamentos divagando por realidades distorcidas. Nesse “salve-se quem puder” desse sistema de influenciar tão alucinante, defender-se dele só mesmo se cegando, se ensurdecendo e se isolando distante. Mas, o povo gosta de artifícios e parece feliz sob os auspícios daqueles que querem nos transformar num grande hospício.

Altino Olímpio

Leia outras matérias desta seção
 » Se não fosse os outros...
 » Fluxo de sensibilidade
 » Será que a vida é uma ilusão?
 » A marca da besta
 » Convém não pensar
 » Adeus dia de Finados
 » Conversa ocasional
 » Por que viemos ao mundo?
 » O passado convive com o presente
 » Os traídos e os traidores
 » Os exagerados do Youtube
 » Os que não sabem são os que mais sabem
 » Brasil, fonte do saber
 » Seres humanos que muito irritam
 » A Torre de Babel brasileira
 » Pegando pesado
 » Pensamentos lúcidos
 » O diálogo entre um Ateu e um Espírita
 » O gostar de alguém sem o alguém saber
 » Má temática da vida

Voltar