10/06/2008
A verdade desilude

A Verdade Desilude

A verdade é uma fera que não convém andar a solta. Galileu foi forçado a abjurar, retratar-se, e resgatou no instante supremo, com a mentira, a vida que estava preste a perder, só porque denunciou um pedacinho da verdade (Aristides Ávila).

Então, a verdade é um bicho feroz que deve ser enjaulado? Muitos são vítimas de mentiras e contradizê-los apontando-lhes as incoerências é até perigoso. Ninguém gosta de perder o trono das ilusões, o elo de amizade entre os iludidos. Parece um paradoxo, as mentiras reúnem e as verdades desunem. Galileu ao falar a verdade para os que viviam na mentira fatalmente teria sido assassinado por eles se uma mentira não o tivesse salvado. Para se safar da morte ele deu a entender: não, a mentira de vocês é que é a verdade; a minha verdade é que é mentira. No entanto, hoje qualquer criança que estuda sobre a revolução dos planetas em torno do sol sabe que a “mentira” de Galileu foi comprovada como verdade e, a “verdade” dos dogmáticos viajou para a época dos dinossauros.

O Ex-Sumo Pontífice, Papa João Paulo II declarou que para não incorrer nos erros do passado, a Religião Católica iria acompanhar o parecer da ciência sobre a real praticidade de quaisquer de seus enunciados. Percebeu-se não querer que a sua instituição milenar fosse um empecilho ao galgar do conhecimento humano. Aconselhou a reflexão imparcial sobre a teoria Darwinista e sobre a teoria da relatividade de Einstein. Demonstrou mente aberta para investigações, o que, contraria os ainda aprisionados por crendices, aquelas que aos poucos a ciência vai destronando.

Altino Olímpio

Leia outras matérias desta seção
 » Sabedoria popular
 » Flor que não se cheira
 » O que é a Quaresma
 » O tempo passa e nada muda
 » O futuro do passado
 » Música La Paloma e sua tristeza
 » Carnaval e mulheres bonitas
 » A missão na Vida
 » A incógnita continua
 » A reencarnação
 » Recordar é reviver
 » O melhor amigo vai chegar
 » Coisas da vida
 » A raça preferida
 » Detector de mentiras mundial
 » Espetáculo inesquecível
 » Os bons princípios dos velhos anos novos
 » O Marcolino
 » Que tal o Natal de agora?
 » Nenhuma praça havia

Voltar