13/10/2008
Pensamento

Com o passar do tempo, com os nossos anos se sobrepondo, somos mais interiorizados e nossa consciência parece querer subir até as estrelas para adentrar no mistério da existência que aqui nos é ignorado. Esse nosso "nada se sustenta" ou esse "nada leva a nada" talvez tenha um porque. Ninguém ainda o descobriu. Às vezes temos alguns lampejos subjetivos de estarmos conectados com algum objetivo, mas, o cotidiano os torna esquecidos. Os nossos "aquis e agoras" mais são prisioneiros do nosso mundo de fora. Só temos tempo para o mundo de dentro quando ao nosso dormir o sono exclui nossos pensamentos. Talvez seja quando sejamos nós mesmos, ninguém, sendo só uma extensão do infinito incluso num corpo que obscurece todo o significado da existência atraindo pra si a ilusão das aparências e condicionando um viver-pensar só até onde abarca seus canais de recepção e percepção e nisso, restringindo a nossa consciência, impedindo-a de se expandir até as estrelas dos mistérios inescrutáveis.

Altino Olímpio

Leia outras matérias desta seção
 » Se não fosse os outros...
 » Fluxo de sensibilidade
 » Será que a vida é uma ilusão?
 » A marca da besta
 » Convém não pensar
 » Adeus dia de Finados
 » Conversa ocasional
 » Por que viemos ao mundo?
 » O passado convive com o presente
 » Os traídos e os traidores
 » Os exagerados do Youtube
 » Os que não sabem são os que mais sabem
 » Brasil, fonte do saber
 » Seres humanos que muito irritam
 » A Torre de Babel brasileira
 » Pegando pesado
 » Pensamentos lúcidos
 » O diálogo entre um Ateu e um Espírita
 » O gostar de alguém sem o alguém saber
 » Má temática da vida

Voltar