19/11/2008
Mundo Irracional

“Sempre é preciso manter os olhos abertos”. Esta frase é para o viver exterior a que o intelecto está exposto. Coitado, ele é receptivo das mentiras, superstições, imbecilidades ou delírios com que os seres humanos estão impregnados para trocarem entre si. Depois que uma mentira e um absurdo se instalam na cabeça de alguém, duvida-se da possibilidade de remoção, principalmente se forem milenares e já calcificadas na mente da maioria. A criatura homem tem de descomunal uma abertura para invasões psicológicas incoerentes e mesmo indecente se, considerada que ela é o ápice da criação. Uma das invasões que percorre, talvez, pela maioria é a capacidade da enganação. Humanos enganam humanos e esta época foi promissora para demonstrar isso. Ao nos pensarmos civilizados, isto, é motivo de gargalhadas. Como, se ninguém confia em ninguém? O lema é desconfiar sim! Também, nos relacionamentos afetivos parece que tudo se transformou em Sodoma e Gomorra. Só não vê ou não sabe quem não quer. A juventude, coitadinha, a mais propensa a ainda ter aspirações, estas não mais lhes são próprias. São oriundas das sugestões vigentes e adequadas ao sistema imposto. Considerados “formadores de opinião”, isto é, os “esclarecidos” e que têm o dom da escrita ou da comunicação verbal, estes, “não mexem no vespeiro”, por medo e talvez porque, sejam mais compensadoras as migalhas a que têm direito. A vaidade, essa locomotiva humana designa muitos a escreverem “coisas bonitas” que não se sustentam na vida prática das pessoas e estas, as acessíveis, mais uma vez são ludibriadas com distrações de suas responsabilidades de se tornarem mais conscientes. Quanto às mentiras generalizadas que são “verdades” embutidas em raciocínios estáticos já irrecuperáveis, “haja saco” para aturar muitos que se encontram por todos os cantos deste planeta. Sempre estão eles querendo aliciar outros para as suas mesmas inconscientes desditas de deformação mental. O animal homem tem uma infelicidade, a de não ser surdo quando quiser. Por isso, queira ou não, sempre chega até ele todas as aberrações que outros estão felizes em possuir em suas cabeças. Neste mundo de programados e programadores, quem nada reflete dessas situações se sente alijado da convivência mútua. Cabe aqui uma mesura a mentira. Pra quem ainda tem raciocínio para perceber todos os lugares em que ela está instalada, ela é responsável por muitos lucros e por muito do movimento da sociedade. A ausência dela e a verdade seriam desilusões para muitos quando o céu de cada um poderia desmoronar nada tendo para substituir. Ela, a mentira, também é bem conveniente para disfarçar a hipocrisia de muitos, quando, numa ocasião solene eles se manifestam como sentidos, lamentados, entristecidos, isso, dito com palavras quando na verdade esses sentimentos lhes estão neutros, pois, a enganação entre os humanos é parte da etiqueta social. Ao contrário do início deste texto, “sempre manter os olhos fechados” bem que poderia ser um paliativo contra todos esses desmandos mentais humanos.

Altino Olímpio

Leia outras matérias desta seção
 » Conversa ocasional
 » Por que viemos ao mundo?
 » O passado convive com o presente
 » Os traídos e os traidores
 » Os exagerados do Youtube
 » Os que não sabem são os que mais sabem
 » Brasil, fonte do saber
 » Seres humanos que muito irritam
 » A Torre de Babel brasileira
 » Pegando pesado
 » Pensamentos lúcidos
 » O diálogo entre um Ateu e um Espírita
 » O gostar de alguém sem o alguém saber
 » Má temática da vida
 » Avenida Paulista amarelada
 » Tempo e a submissão a ele
 » Os simples e os gênios da humanidade
 » História apavorante
 » É proibido e pecado se suicidar
 » O castigo existe?

Voltar