21/11/2008
Acautelem-se

Quem observa contradições e as aponta, sempre está sujeito a ser considerado desagradável pelos que não as notam. Houve um escritor pertencente a uma instituição mística. Em seus livros, os quais eram comercializados pela mesma, em exagero eram as suas afirmações de autenticidade dessa instituição. Mais ou menos assim: Esta Instituição Tal e Tal é a única verdadeira e autêntica. Existiam e ainda existem várias outras instituições com a mesma denominação e cada uma pleiteando para si a autenticidade. O escritor em questão já morreu, mas, se vivo estivesse seria interessante um diálogo com ele, mesmo utilizando-se de intérprete por causa dos idiomas diferentes. O diálogo poderia se iniciar assim: “O senhor, com tanta veemência afirmou e até com exageros de vezes, que, a Instituição ou Organização ‘Tal e Tal’ é a única verdadeira, a única autentica e que remonta à antiguidade, sendo, portanto, detentora dos conhecimentos originais dos quais derivam seus ensinamentos, os ministrados para todos os seus afiliados espalhados por muitos países. Por que, então, fundou uma outra organização com os mesmos propósitos místicos existentes na instituição que o senhor defendeu como sendo a única autêntica? Se pertence ou pertenceu à instituição que é genuína, por que a necessidade de criar outra? Isso não é uma contradição?”.
Aqui está uma indicação sobre as organizações que se propõem como portadoras de instruções para o desenvolvimento mental e espiritual de seus integrantes afiliados, isto é, “associados”, visto que, contribuem mensalmente com uma quantia em dinheiro para a “manutenção” delas. Alheio, em sua maioria o público desconhece a existência dessas organizações. Como é de praxe, existem aqueles, e não são poucos, desejosos de evolução e estes aderem aos chamados sugestivos dessas organizações. Algumas coisas aprendem, mas, aquelas outras, as que servem de “iscas” para arregimentar interessados, como, por exemplo, estado alterado e superior de consciência, ou melhor, atingir níveis mais profundos de consciência é de se duvidar que algum aprenda e domine. Em algumas dessas organizações, também a credulidade pelo que é imponderável desajusta mentes que até então eram tidas como normais, ou que, já estavam predispostas a isso e tais estudos apenas corroboraram com o surgimento observável do desajuste mental. As “Sociedades Secretas” (como assim mais eram denominadas antigamente) tiveram e ainda podem ter em suas fileiras não poucos membros que se tornaram alienados da sociedade devido ao comportamento mental conturbado. Como se sabe, alguns deles, inconscientes disso e ainda se julgando normais apregoam seus poderes psíquicos, mas, apenas por suas palavras, porque, na prática... Coitados. Quem é desejoso de se sobressair de suas limitações mentais, e digamos também espirituais, que se cuide “de onde pode cair” para essa busca até admirável. Dependendo do equilíbrio mental que possa ter, as conseqüências poderão ou não ser desastrosas.

Altino Olímpio

Leia outras matérias desta seção
 » Conversa ocasional
 » Por que viemos ao mundo?
 » O passado convive com o presente
 » Os traídos e os traidores
 » Os exagerados do Youtube
 » Os que não sabem são os que mais sabem
 » Brasil, fonte do saber
 » Seres humanos que muito irritam
 » A Torre de Babel brasileira
 » Pegando pesado
 » Pensamentos lúcidos
 » O diálogo entre um Ateu e um Espírita
 » O gostar de alguém sem o alguém saber
 » Má temática da vida
 » Avenida Paulista amarelada
 » Tempo e a submissão a ele
 » Os simples e os gênios da humanidade
 » História apavorante
 » É proibido e pecado se suicidar
 » O castigo existe?

Voltar