21/09/2009
Há controvérsias

Os dias desaparecem no tempo, os amanhãs serão hojes se somando aos ontens e nessa rotina o homem nasce, cresce, envelhece e desaparece sem saber que nada e nem mesmo ele era dele.

Se você de quase tudo e de quase todos se isolar verá como quase tudo e quase todos não lhe fazem tanta falta se você não for ignorante.

O amor é aquela doença mental a nos tornar tolerantes para suportar os desvarios das pessoas que amamos.

Nestes dias até que não é tão indesejável ser cego e surdo.

O desenvolvimento da consciência pode chegar até onde se venha, a saber, que a inconsciência é melhor, mas, quando já tardio é esse reconhecimento.

Somos como e o que somos porque somos à imagem e semelhança ao Criador, pois, se não fôssemos não seríamos tão santos, justos, morais, honestos, pacíficos, solidários, imparciais e desprendidos assim como somos.

Os conscientes mais estão a se passar por inconscientes ao contrário dos que como conscientes se passam os inconscientes e o mundo mais é destes.

As tragédias provocadas pelas transformações da natureza levando muitos à morte, inclusive crianças, isso, não descondiciona a mente dos seres humanos da crença em uma proteção invisível, pois, durante a tragédia e depois dela apelam por tal proteção sem mesmo lembrar que antes da tragédia proteção alguma existiu.

Se você chegou numa idade avançada e ainda acredita no que a maioria acredita, parabéns, você não envelheceu.

Nascer ou morrer, alguém já comprovou o que é melhor? Se quando vivo ninguém quer morrer será que não quererão mais nascer quando mortos?

Sofrendo injustiça na terra o homem almeja a justiça do céu depois da morte e lá “vivendo” naquele tédio da justiça “não vê a hora” de voltar para a terra.

O homem não morre, seu espírito troca de mundo e no outro que é o principal, se ele foi bom aqui, recebe recompensas, ou punição, se aqui foi um “espírito de porco”. Lá, espírito não tem sexo (nossa, que inferno), então, ninguém se casa e por isso ninguém se separa. Lá os espíritos andam pelados, não precisam comer e sendo assim, não tem desemprego porque ninguém precisa trabalhar. Tem lá a ala dos que vão reencarnar, são os políticos que tanto se sacrificaram pelo povo e não tiveram a chance de gozar os mesmos privilégios que concederam a ele, o povo, enquanto foram políticos. É este mundo daqui é apenas preparatório para o outro, por isso, cada vez mais esbarramos com pessoas cultas, evoluídas já preparadas para, sem máculas, serem espíritos lá no céu.


Altino Olímpio

Leia outras matérias desta seção
 » Se não fosse os outros...
 » Fluxo de sensibilidade
 » Será que a vida é uma ilusão?
 » A marca da besta
 » Convém não pensar
 » Adeus dia de Finados
 » Conversa ocasional
 » Por que viemos ao mundo?
 » O passado convive com o presente
 » Os traídos e os traidores
 » Os exagerados do Youtube
 » Os que não sabem são os que mais sabem
 » Brasil, fonte do saber
 » Seres humanos que muito irritam
 » A Torre de Babel brasileira
 » Pegando pesado
 » Pensamentos lúcidos
 » O diálogo entre um Ateu e um Espírita
 » O gostar de alguém sem o alguém saber
 » Má temática da vida

Voltar