04/08/2011
Homens dedicados e delicados

Homens dedicados e delicados

Semana producente está nossa aqui no Município de São Paulo. Um inspirado vereador parece que conseguiu na câmara do município a aprovação de um projeto lei. Para se tornar lei l falta apenas à assinatura do prefeito atual. Trata-se da escolha de um dia do calendário a ser destinado a homenagear os heterossexuais. Contra isso já se manifestaram apelidando o projeto de “dia do heterrorsexual (risos). Hei São Pedro, por favor, poderia parar um pouquinho o mundo. Quero sair daqui desta bosta. Não agüento mais assistir a discussões sobre aprovações de projetos desnecessários para meu querido já meio “desquerido”Município. Quero ir pescar, catar goiaba no mato e se precisar limpar aquilo com folha de bananeira. Quero dar banho no cachorro, limpar cocô do gato, passear de carro com o volume do rádio explodindo através de autofalantes super potentes. Quero curtir o silêncio dos vendedores da feira semanal para comprar jaca, abroba, nabo e comer pastel de carne de boi morto. Com essas coisas importantes na cabeça, esses “bem-flertores” da humanidade ficam desviando o rumo das minhas verdadeiras necessidades. Deveriam ser condenados à pena máxima e serem obrigados a assistir os programas de fim de semana que são televisados. Com certeza eles não aguentariam tanta tortura e até apelariam para o suicídio. Menos mal, né? 

                                                                                                Altino Olympio


Altino Olímpio

Leia outras matérias desta seção
 » Somos o que pensamos?
 » Se não fosse os outros...
 » Fluxo de sensibilidade
 » Será que a vida é uma ilusão?
 » A marca da besta
 » Convém não pensar
 » Adeus dia de Finados
 » Conversa ocasional
 » Por que viemos ao mundo?
 » O passado convive com o presente
 » Os traídos e os traidores
 » Os exagerados do Youtube
 » Os que não sabem são os que mais sabem
 » Brasil, fonte do saber
 » Seres humanos que muito irritam
 » A Torre de Babel brasileira
 » Pegando pesado
 » Pensamentos lúcidos
 » O diálogo entre um Ateu e um Espírita
 » O gostar de alguém sem o alguém saber

Voltar