16/08/2011
Estar na moda incomoda

Estar na moda incomoda

--Escuta, estou aqui com você neste restaurante, mas, estou ficando invocado.
--Ué por quê? Minha companhia não te agrada?
--Agrada sim, mas, todos ao passar por aqui te olham. Você está com um decote exagerado. Pela tua idade acho inconveniente essa tua exibição.
--Ah bem, você está com ciúmes, como isso é bom e é porque gostas de mim.
--Pronto, eu sabia. Lá vem o ciúme de merda a interceder para me tirar à razão.
--Querido! Acalme-se, pois, gastei uma grana pra colocar silicone nos seios e você acha que não devo mostrá-los? No bumbum também coloquei e bem que você gostou. Deixe os outros olharem, afinal, não me tiram nenhum pedaço.
--Tá, tá, tá bom. Mostre o que quiser pra quem quiser. A vaidade feminina não tem limites. Pensei que você fosse mais recatada... Ah, você é igual às outras.
--O que? Não me compare com as piranhas com que você está habituado.
--Sim podem ser piranhas, mas, quando saem comigo não ficam mostrando as tetas. Comportam-se melhor do que você que é uma mulher de família.
--Seu malcriado, eu não sou nenhuma vaca para ter tetas, viu? Além do mais a bunda é minha, os seios são meus e eu mostro pra quem eu quero.
--Isso eu sei. É só assim que você se realiza. Mas deixa estar... Os anos vão...
--Que vai dizer? Que já estou velha? Olhe-se você no espelho para se ver.
--É, pagaria pra ver como vai ficar depois da carne ficar enrugada você por dentro siliconada. Ainda mais com aquela tatuagem no bumbum.
--Isso não é da sua conta. Você é um homem grosso, cruel, antiquado.
--E você que não tem educação fica ai gritando, gesticulando chamando à atenção de todo o mundo. Mulher de família hein?
--Olha aqui, estou arrependida do tempo que passamos juntos e não quero mais te ver. Vou embora e não precisa me levar. Eu me viro e pego um taxi.
--Justamente eu ia dizer a mesma coisa. Pode ir embora coroa deslumbrada.
Hei garçom, por favor, daria pra esquentar o jantar, ele esfriou. “Caramba, só agora eu vi onde ia amarrar o meu burro. Ah, logo arranjo outra mais simples e sem frescura. Silicone, tatuagem... Ai, ai, ai chega de mulheres postiças”.

                                                                                           Altino Olympio

 


Altino Olímpio

Leia outras matérias desta seção
 » Se não fosse os outros...
 » Fluxo de sensibilidade
 » Será que a vida é uma ilusão?
 » A marca da besta
 » Convém não pensar
 » Adeus dia de Finados
 » Conversa ocasional
 » Por que viemos ao mundo?
 » O passado convive com o presente
 » Os traídos e os traidores
 » Os exagerados do Youtube
 » Os que não sabem são os que mais sabem
 » Brasil, fonte do saber
 » Seres humanos que muito irritam
 » A Torre de Babel brasileira
 » Pegando pesado
 » Pensamentos lúcidos
 » O diálogo entre um Ateu e um Espírita
 » O gostar de alguém sem o alguém saber
 » Má temática da vida

Voltar