28/06/2013
Passeatas

 Parece que os políticos de Brasília são instruídos a pensar que o povo só se interessa por pão e circo. Esse engano foi constatado e foi contestado neste mês de junho de 2013. São tempos históricos para este país. Em muitas capitais e cidades o povo reunido em passeata esteve e está a reclamar sobre o absurdo do erário sendo desperdiçado com supérfluos, como são as construções dos estádios de futebol. Essa arrogância esportiva, eleitoreira e para agradar interesses alheios a este país, foi um tiro que saiu pela culatra. O povo se revoltou e esteve, embora tardiamente, contra essa aberração governamental. O povo esteve a exigir do governo a mesma obstinação e perseverança e o mesmo gasto do erário para a melhoria de bens públicos realmente necessários para a sua existência. Entretanto, a solidariedade não é geral. Enquanto milhares estavam pelas praças, ruas e avenidas protestando contra os desmandos do governo, outros milhares estavam nos estádios de futebol felizes com a gritaria que os circos lhes promovem, patrocinados que são pelo governo e pela mídia, quando, milhares de olhares ficam focados nos gramados a serem pisoteados pela ilusão. Diga-me em quem você vota e eu direi quem você é.
                                                                                                                                     Altino Olimpio
>



Leia outras matérias desta seção
 » O Google te conta tudo
 » Tentando compreender o incompreensível
 » Mistério insolúvel
 » Os dias tem seus donos
 » A bagunça criada pela mídia e pela internet
 » Sacanagem esportiva
 » A guerra invisível
 » Sanidade prejudicada pela tecnologia
 » Desfez-se da sogra e ninguém se preocupou
 » Os brasileiros sempre foram bondosos
 » Antigamente o absurdo era inconcebível
 » Fim de domingo
 » Mas que falta de consideração
 » Nada como poder falar e aparecer
 » Minhas andanças por ai
 » Agora temos contatos, mas não com tatos
 » Quem sabe, sabe e conhece bem
 » A enganação parece eterna
 » A grande fraternidade branca
 » Os dias que sempre nos esperam

Voltar