29/11/2013
A grande farra

 

Nesta semana tenho ido ao circo (noticiários da TV) muito me diverti, ri muito e até “mijei” na calça. Dizem que o Brasil é o país do futebol, mas, se parece com o país dos palhaços. Lembrando o saudoso general da França, o Charles De Gaulle, ele disse no passado que este país não é lá muito sério. Enganou-se o general porque aqui levamos a farra muito a sério. A mídia mostrou na muita farra um deputado condenado a cumprir pena, ele exibindo um gesto comunista neste país “democrático”, aquele gesto de punho fechado ao alto. Foi muito engraçado ele se enganar pensando que estava na Rússia, na China ou em Cuba. Ele quer se aposentar do cargo de deputado alegando estar muito doente para exercer tão nobre função, a mesma exercida pelos homens mais admiráveis deste país. Embora o “salário” dos aposentados seja pouco, tomara que o INSS não lhe negue esse direito, senão, como irá sobreviver? Outro então, com postura de artista de cinema, dado a cirurgia plástica continua muito bonito, e como se diz, também condenado injustamente a cumprir pena. Como é um “recluso” do regime semi-aberto, ele solicita permissão para ser gerente de um hotel. Nada mais justo! Durante o dia seria funcionário do hotel e à noite iria dormir no local destinado aos reclusos. De manhã poderia escolher ter seu desjejum onde dormiu, ou, tomar café no hotel, de qualquer forma, tudo de graça. À noite ao voltar para onde a lei o destinou ficar, lá não precisaria encomendar pizza para comer, sucos, refrigerantes e etc. porque, teria alimentos à sua disposição. Resumindo, poderia aplicar na poupança todo o salário que viria a receber do emprego no hotel. Mais importante, lá onde tem que passar as noites, não é necessário se masturbar, porque, pela lei, ele pode ter visitas íntimas, isso quer dizer, pode dar umas trepadinhas de vez em quando, talvez, mais do que o habitual de quando ele estava em plena liberdade.  Como escrito acima ri muito dos noticiários porque a mídia me faz rir pelas cenas engraçadas que ela escolhe para televisionar. Ela tem bom humor. Como não poderia deixar de serem, nossos presos condenados pela justiça sempre parecem felizes em suas situações e pelas suas atitudes revelam que cadeia “não é bicho de sete cabeças”. Até acredito que sejam invejados por quem esteja preso pela liberdade de viver e não seja notado pela mídia. Outros países deveriam imitar o nosso sistema prisional que é igual para todos, mas, atrasados em evolução, não aderem aos nossos exemplos.

                                                                                                            Altino Olympio



Leia outras matérias desta seção
 » Somos o que pensamos?
 » Se não fosse os outros...
 » Fluxo de sensibilidade
 » Será que a vida é uma ilusão?
 » A marca da besta
 » Convém não pensar
 » Adeus dia de Finados
 » Conversa ocasional
 » Por que viemos ao mundo?
 » O passado convive com o presente
 » Os traídos e os traidores
 » Os exagerados do Youtube
 » Os que não sabem são os que mais sabem
 » Brasil, fonte do saber
 » Seres humanos que muito irritam
 » A Torre de Babel brasileira
 » Pegando pesado
 » Pensamentos lúcidos
 » O diálogo entre um Ateu e um Espírita
 » O gostar de alguém sem o alguém saber

Voltar