27/02/2014
Brasileiro é tão bonzinho.....

Brasileiro é tão bonzinho

Neste país, o Brasil, tido como sendo de democracia perigando, a utopia esteve a dizer que no regime democrático o povo é quem governa. Muitos já acreditaram nessa alegoria tão infantil. Num último exemplo da “governabilidade” do povo, este, aos milhares esteve pelas ruas reivindicando, clamando pela redução da maioridade penal dos dezoito para dezesseis anos de idade. Tudo em vão. O povo foi traído por alguns de seus representantes rejeitando a tal da emenda constitucional. Democracia é assim. O povo elege não sabe quem e quando vem, a saber, o eleito já está só a pensar em si e não quer saber de mais ninguém. Ser político tem a ver com a vontade de ficar rico. Pensar que políticos sejam inteligentes e superiores ao povo, isso é engano. Eles têm as mesmas fraquezas, ilusões e defeitos compatíveis com a do povo e como se sabe, alguns são ignorantes, isso demonstram quando “abrem a boca” para exteriorizar incoerências.    Se fossem evoluídos e incumbidos para apenas ditar normas para o país, duvida-se que alguns embarcariam num avião viajando para outro Estado apenas para assistir a um jogo de futebol, essa “coisa” apaixonante até para político. Por ocasião da Copa do Mundo de Futebol, como sempre se repetirá o esvaziamento de seus locais de “trabalho”. Eles têm tantas mordomias que qualquer ser humano comum se sente como sendo um coitado qualquer e abandonado pelo destino. Além dos altos rendimentos que percebem, têm aqueles politizando em causa própria cometendo desfalque ao erário. Os políticos mais são desprovidos de seus ideais próprios e de suas opiniões porque mais estão à mercê dos ideais e opiniões de seus partidos. Pensam que eles governam quando são governados. Mas, onde está o povo que, segundo a democracia é ele quem governa, já que escolhe seus líderes para representá-lo? Ele está envolvido com situações mais sérias. Está resolvendo problemas tão sérios pelo telefone celular e de qualquer lugar, está ligado na internet e nas redes sociais principalmente no tal de Facebook e também pelos programas televisionados de tão alto nível intelectual. São “coisas” do primeiro mundo. A diversidade de religiões também faz com que seja desnecessária a preocupação com a política. Sabe-se que na diversidade de religiões o povo mais se entende, se une (e como se une) mais e sendo assim os políticos temem desagradar ao povo. O único mal que agora nos acomete e não aos políticos que viajam pelo ar, são os bandidos e os assassinos mesmo menores de idade vagando pelas ruas procurando gente honesta e simples para roubar ou matar. Nada de mal fazem aos inteligentes legisladores, porque, considera-os bons amigos sendo seus protetores, conforme as leis existentes que criaram para protegê-los. Hoje ser bandido até é um “status” e ser digno de respeito, ainda mais com uma arma na mão. Eles têm a chance de aparecer na televisão e isso não é para qualquer um. Quando um é preso, ele se alimenta melhor que muita gente e tem a regalia de praticar sexo na prisão. Alguns políticos foram condenados “injustamente” a cumprir “meio período de pena” para poderem trabalhar e dormir na prisão depois de se alimentarem e sem pagar aluguel. Ficaram mais famosos e, depois das penas cumpridas talvez sejam convidados a serem galãs das novelas de televisão. Tem muita gente descontente com a situação deste país, mas, se esquecem que “rir é o melhor negócio” e para isso, rir, acredito que o povo pode governar, sim. Democracia tem isso de bom. Poder rir ao invés de chorar.

                                                                                                      Altino Olympio 



Leia outras matérias desta seção
 » Se não fosse os outros...
 » Fluxo de sensibilidade
 » Será que a vida é uma ilusão?
 » A marca da besta
 » Convém não pensar
 » Adeus dia de Finados
 » Conversa ocasional
 » Por que viemos ao mundo?
 » O passado convive com o presente
 » Os traídos e os traidores
 » Os exagerados do Youtube
 » Os que não sabem são os que mais sabem
 » Brasil, fonte do saber
 » Seres humanos que muito irritam
 » A Torre de Babel brasileira
 » Pegando pesado
 » Pensamentos lúcidos
 » O diálogo entre um Ateu e um Espírita
 » O gostar de alguém sem o alguém saber
 » Má temática da vida

Voltar