13/08/2014
O Deus que te abençoe

O Deus te abençoe

Sempre que “olho” para o mundo só vejo tragédias, desgraças, incompreensões, disputas, guerras e tudo mais, inaceitáveis para o viver humano desta época tecnológica e promissora. Nosso mundo, a terra, como sempre esteve, está tendo suas transformações. Nada do que ocorre segundo parece, tem a participação de um regente supremo. Sabemos de catástrofes da natureza a destruírem milhares de moradias e causando muitas mortes. Acidentes aéreos também vitimam muita gente. Tudo está ao contrário de quando eu era criança e me ensinaram que Deus era o protetor do mundo e da humanidade. Ele sendo “Onisciente e Onipresente”, a todos poderia proteger. Assim cresci pensando até me tornar adulto. Agora o dilema me persegue. Ele protege ou não protege? Tenho receio de admitir que não, porque, posso me tornar “mal visto” pelos outros que não duvidam de tal proteção. Confesso que estou meio confuso. Aqueles que se utilizam de automóveis blindados acreditam em proteção divina? Quantos antes de morrerem em acidentes ouviram de alguém “Deus te proteja ou Deus te acompanhe”? Muito já ouvi sobre o “não pronunciar seu santo nome em vão”. Mas, atualmente é o que mais se ouve. O “Deus te abençoe” diariamente é repetido. Será que algum ser humano tem mesmo esse poder de pedir para Ele abençoar alguém e Ele está sempre à disposição para obedecer a tal pedido? Não sei! As pessoas pretensiosas acreditam que Ele sempre está à disposição delas para atender aos seus pedidos. Se elas estão certas fico muito feliz, porque, ultimamente, várias pessoas pediram pra Ele me abençoar, só não sei se Ele as obedeceu. Talvez ainda não, porque, sempre repetem esse mesmo pedido a meu favor como se Ele fosse esquecido ou não tivesse ouvido para ouvir por estar muito ocupado. Eu, como nunca fui “pidonho” vou ser hoje, mas, de uma maneira contundente e moderna. O meu pedido vai por mensagem eletrônica, isto é, por computador que substituiu as inoperantes mensagens telepáticas. “Que Deus abençoe a todos”. Pronto. Depois desse enorme bem que fiz já posso morrer em paz.

                                                                                                  Altino Olympio



Leia outras matérias desta seção
 » Se não fosse os outros...
 » Fluxo de sensibilidade
 » Será que a vida é uma ilusão?
 » A marca da besta
 » Convém não pensar
 » Adeus dia de Finados
 » Conversa ocasional
 » Por que viemos ao mundo?
 » O passado convive com o presente
 » Os traídos e os traidores
 » Os exagerados do Youtube
 » Os que não sabem são os que mais sabem
 » Brasil, fonte do saber
 » Seres humanos que muito irritam
 » A Torre de Babel brasileira
 » Pegando pesado
 » Pensamentos lúcidos
 » O diálogo entre um Ateu e um Espírita
 » O gostar de alguém sem o alguém saber
 » Má temática da vida

Voltar