09/10/2014
Bronca da amiga

Bronca de amiga

Altino, cá entre nós, você acredita no que escreve? (Sylvia)

Se acredito no que escrevo? Não, sempre minto pra mim mesmo. Entretanto, se o que escrevo serve para reflexão de alguns, então, algo de bom ou ruim estou fazendo. Mas, amiga, de uma lida no David Hume e começará a ver as coisas com outros olhos. "O empirismo lógico consiste na afirmação de que as palavras só têm significado na medida em que se referem a fatos concretos. Daí decorre a eliminação de todos os conceitos da metafísica, pois estes pretendem referir-se a realidades exteriores ao sujeito pensante, sem qualquer traço de experiência sensível". David Hume nasceu na Escócia em 1711. Fica zangada, não (risos)

Pergunto, pois, você podia escrever essas baboseiras só para provocar as pessoas, talvez. (e eu sei como você sabe provocar)
 Leia também Werne Heinsenberg, Amit Goswani, Osny Ramos e outros físicos quânticos, ESTUDE MECÂNICA QUÂNTICA, (ouça palestras do professo Helio Couto e de outros), que já comprovou em laboratório por inúmeras vezes como funciona a mente de Deus, como funciona a nossa, o poder de co criadores que temos e como funcionam as leis do universo às quais estamos sujeitos, sem privilégios nem castigos. Como somos criadores da nossa realidade, portanto, não cabe a Deus ou o todo ou o vácuo quântico, como dizem os cientistas resolver por nós.
Não fico zangada, eu estou é cansada dessa conversa infantilizada, se Deus existe, porque nascemos, pra onde vamos quando morremos etc, etc... Quando a física, a ciência, eu não falo religião, já provaram a existência dos multiuniversos, o que chamo de dimensões, já provaram a existência do espírito ocupando todos os níveis de dimensões, já relatam há dois séculos a experiência da dupla fenda, que prova que nós é que comandados os elétrons, é o nosso desejo, a nossa vontade que faz movimentar o mundo quântico, o quanto temos que nos libertar dos paradigmas, do ego.
Não tenho mais paciência pra filosofias baratas, já saí dessa há milênios...
Tem dois tipos de gente que não gosto, as fanáticas e as céticas, ambas acabam ironizando tudo, não levando nada a sério, a primeira por ignorância, a segunda por comodismo ou teimosia. Saia da zona de conforto e vá vislumbrar outros conhecimentos porque os que você acessa está há anos luz de atraso.
Leve a mal não, mas, uma das coisas que não tenho mais paciência é de dourar a pílula, ando falando demais...
Não estou me colocando nem acima nem abaixo de você, intelectualmente, longe de eu tecer qualquer tipo de julgamento, apenas, vejo que transitamos em frequências muito diferentes. É uma pena... (Sylvia)

Pra começar tenho alguns livros sobre esses temas que aludiu. Tenho o livro "O Universo Autoconsciente" do Amit Goswami e outros. Pena que não me lembro agora de todos os nomes dos cientistas envolvido nessas questões, são vários que muito admiro. Mas, mas, escrever sobre esses assuntos não me encontro capacitado e minha terminologia de leigo deixaria muito a desejar. Também, ah lembrei-me agora do brasileiro Marcelo Gleiser, já o li também. Também, como ia "dizendo", se atualmente muitas pessoas nem conseguem entender um texto simples, como iriam interpretar temas sobre a mecânica quântica? Eu, como você, estou com o saco cheio de ouvir tanta baboseira que não se encaixam na realidade e por isso, às vezes, algumas crônicas são mesmo para provocação, como foi essa última. Inclusive li-a no programa de rádio para os ouvintes, para eles, se quisessem me contradizer, mas, tal não aconteceu. É pena ser raro os que comentam sobre os textos que lêem. Se a maioria fosse como você, bem que eu gostaria, porque, dos comentários sempre pode surgir algo para minhas reflexões. Quanto aos acessos que você diz estarem anos luz de atraso, pra você podem estar, mas, não para a maioria dos leitores que nem leitores são e por isso desconhecem muitos daqueles que escreveram seus conceitos lá no passado. 

“sem experiência sensível“  tudo o que falo já foi comprovado.
 Não saio dando tiro no escuro. (Sylvia)

Intão né? Num dia tão distante acordei com um nome na mente: David Hume. Quem seria ele? Alguma vez já ouvira esse nome ou o tenha lido em algum livro? Não me lembrava. Então o chamei no Google e lá estava ele. Alguns dias se passaram e estando eu na cidade dando bandola pra cá e pra lá, fui me distrair num sebo. E não é que lá vi um livro dele e claro que o comprei. Assim que recebi tua resposta à minha crônica eu o estava relendo, pois, anos se passaram de quando o li pela primeira vez. Ao responder ao teu primeiro comentário-pergunta, aproveitei para te enviar um parágrafo do livro e pelo que senti, fui infeliz com essa idéia. Foi um tiro no escuro e acertou em você (risos).

Ah, então escreveu para provocar mesmo... Eu não me engano.
Você não é tão cético assim, Altino, é contestador.
Pena não conversarmos mais sobre o assunto, procure entender o que é o “colapso da função de onda”, do Sherodinger (nunca sei escrever o nome corretamente), quando conseguir dominar a técnica, que não depende de inteligência e sim de “sentimento”,  sua vida dará uma volta de 360 graus e sua consciência se expandirá. (Sylvia)

                                                                                                                 Altino Olympio

 



Leia outras matérias desta seção
 » Conversa ocasional
 » Por que viemos ao mundo?
 » O passado convive com o presente
 » Os traídos e os traidores
 » Os exagerados do Youtube
 » Os que não sabem são os que mais sabem
 » Brasil, fonte do saber
 » Seres humanos que muito irritam
 » A Torre de Babel brasileira
 » Pegando pesado
 » Pensamentos lúcidos
 » O diálogo entre um Ateu e um Espírita
 » O gostar de alguém sem o alguém saber
 » Má temática da vida
 » Avenida Paulista amarelada
 » Tempo e a submissão a ele
 » Os simples e os gênios da humanidade
 » História apavorante
 » É proibido e pecado se suicidar
 » O castigo existe?

Voltar