08/12/2014
Obras do Metrô supervisionada do além

Nicolas Maduro da Venezuela parece que ainda está verde. O homem ainda não amadureceu para as realidades da vida. Ele acredita em fantasmas. Então né (risos) conforme relatado na brasileira Revista Veja, ele falou sobre e até exibiu uma foto de um fantasma visto nas escavações do metrô. “Caracas”, e ele disse que o fantasma é do Hugo Chaves, seu antecessor. O “mais duro” é que ele acredita mesmo na aparição do outro mundo. O “crer para ver” sempre funciona nas mentes impressionáveis, principalmente nos já maduros em converter abstrações em realidades. Alguns governantes gostam de agradar o povo quando falam sobre as mesmas tendências dele, como, religião, Deus e etc. mesmo em nada acreditando sobre o que falam ou ouvem. O Fidel Castro é professor nisso. Aqui no Brasil várias vezes já ouvi candidatos a algum cargo público dizerem: se Deus quiser serei eleito, se for da vontade de Deus... E assim caminha a humanidade, com Deus por todos os lados e até, como querem, envolvido com política, reduto este de tantas sacanagens. Voltando a aparição nas escavações do metrô de Caracas, pelo mundo todo, cientistas nunca conseguiram comprovar a realidade de tais “fenômenos” existentes além da fronteira divisora “existente” entre os vivos e os mortos ou entre a realidade e a irrealidade. É preciso ser muito “maduro” para desprezar a descrença dos cientistas. Entretanto, se foi mesmo verídica a aparição do espírito do Hugo Chaves, conforme dito acima, então, não pode ser “chaveco”.

                                                                                                        Altino Olympio    



Leia outras matérias desta seção
 » Fim de domingo
 » Mas que falta de consideração
 » Nada como poder falar e aparecer
 » Minhas andanças por ai
 » Agora temos contatos, mas não com tatos
 » Quem sabe, sabe e conhece bem
 » A enganação parece eterna
 » A grande fraternidade branca
 » Os dias que sempre nos esperam
 » Frases ou lembranças que me chegam
 » O paraíso perdido
 » Penso, logo existo. jargão antigo
 » Os ladrões do tempo
 » A sacanagem não muda
 » Para os que não pensam pensarem
 » Não é tudo que o tempo modifica
 » O braço direito do homem
 » O inexplicável sentido da vida
 » Tempos e contratempos
 » Raciocinar cansa muito

Voltar