01/09/2015
Reflexões delirantes

Lembro-me de quando criança ouvia dos adultos, que, alguém ao morrer iria para céu. Isso para quem fosse bom e não tivesse pecados, porque os pecadores iriam para o inferno depois de suas mortes. Os que fossem para o céu, lá teriam que aguardar o dia do juízo final quando todos seriam julgados pelos seus atos enquanto viveram na terra. Céu e inferno, nunca houve a preocupação de saber a exata localização desses lugares. Nesta época, se alguém tivesse as coordenadas desses lugares do além, com o de hoje aparelho GPS seria fácil localizar tais lugares. Antigamente também falavam que as pessoas ao morrerem e indo pro céu, elas “viveriam” ao lado de Deus. Mas, Ele sendo onipresente está em tudo e em todos os lugares e não num lugar particular, específico. Então, como seria o viver ao lado Dele se Ele é ubíquo? Pergunta que não sei responder, talvez apenas padres e pastores saibam, pois, eles são orientadores espirituais. Desde o primeiro ser humano que existiu na terra, todos os que morreram, quantos bilhões seriam eles estando a aguardar o dia do juízo final? E esse dia quando seria? Seria no fim dos tempos da existência da terra? Cientistas consideraram que a terra existe há mais de quatro bilhões de anos terrestres. Outros bilhões de anos terão que passar antes que o sol se transforme num gigante vermelho e extinga toda a vida na terra. Se o dia do juízo final está pra ser no fim da existência da vida na terra quando o último habitante tenha morrido, então, como ainda vai demorar tanto, os sem juízo de agora não terão com o que se preocupar (risos). “Quando inventaram a velhice” sabiam o que estavam fazendo. Nessa última fase da vida as pessoas têm a chance de verdadeiramente se tornarem adultas. Sim, com as reflexões sobre o que é e sobre o que não é. Contudo, muitos sendo crianças nunca envelhecem.  Talvez porque sabem que é preciso voltar a ser criança para poder entrar no paraíso.  


Altino Olympio

Leia outras matérias desta seção
 » O túnel do tempo
 » Mas que vida engraçada
 » Cada dia uma para encher o saco
 » Durante a pandemia a ociosidade faz pensar
 » Somos prisioneiros do tempo
 » Achismos incoerentes
 » Governador de São Paulo e a China
 » A mulher muito bonita
 » O desabafo da amiga
 » Quem procura encontra?.
 » Sabedoria popular
 » Flor que não se cheira
 » O que é a Quaresma
 » O tempo passa e nada muda
 » O futuro do passado
 » Música La Paloma e sua tristeza
 » Carnaval e mulheres bonitas
 » A missão na Vida
 » A incógnita continua
 » A reencarnação

Voltar