19/05/2016
Apartamentos do se apartar

Apartamentos do se apartar   

À noite e a grande cidade com suas luzes acesas
Muitos se sentem a sós na imensidão dela
Em cada apartamento o viver é restrito
Da janela se vê ao redor o cerco de outros prédios
Com suas luzes também acesas revelando ambientes
De quem lá vive no desconhecimento recíproco
Abaixo também se vê luzes de lanternas de carros
Faróis acesos e sons de buzinas ecoando pelas ruas
Semáforos se alternando em suas cores
Verde e o amarelo e o vermelho condutoras
Tais imagens se tornam esquecidas e desprezadas
Quando a rotina delas se torna comum
E não mais exercem atração para a distração
Em apartamento não existe a visão da “casa ao lado”
Nem vizinhos para conversar no muro ou na cerca
Além dos do lado existem os de cima e os de baixo
Dependem da coincidência para se verem no elevador
Nem sempre são de sorrisos e de cumprimentos
O “cada um na sua” reflete como são suas intimidades
Apartamentos se grandes ou médios ou pequenos
Podem conter a monotonia de seus habitantes
Cada um no seu existir individual de ser
Um em cada cômodo de sua particularidade
Aprisionados em seus entretenimentos eletrônicos
Já sem disposição para o relacionamento familiar
Tornado tão comum e sem novidades para agradar
Dando condição para a melancolia se instalar
Com o sentimento de se estar longe do mundo
E de se sentir só e ser anônimo entre a população
O apagar das luzes da cidade pelo amanhecer
É o reclamar para o sol logo aparecer
Chegando ele vai dissipando solidão noturna
Ela que é mais presente aos fins de semana
Quando o ter onde ir é ficar preso no apartamento
O sol e os afazeres diurnos são atenuantes
De aborrecimentos melancólicos noturnos
Até novamente a chegada da noite
Da grande cidade com suas luzes acesas
Se iluminando indiferente de quem se sinta só
Mesmo com outros num mesmo apartamento

                                         Altino Olympio



Leia outras matérias desta seção
 » Somos o que pensamos?
 » Se não fosse os outros...
 » Fluxo de sensibilidade
 » Será que a vida é uma ilusão?
 » A marca da besta
 » Convém não pensar
 » Adeus dia de Finados
 » Conversa ocasional
 » Por que viemos ao mundo?
 » O passado convive com o presente
 » Os traídos e os traidores
 » Os exagerados do Youtube
 » Os que não sabem são os que mais sabem
 » Brasil, fonte do saber
 » Seres humanos que muito irritam
 » A Torre de Babel brasileira
 » Pegando pesado
 » Pensamentos lúcidos
 » O diálogo entre um Ateu e um Espírita
 » O gostar de alguém sem o alguém saber

Voltar