24/08/2016
Melhor é olhar para as nuvens

Do amanhecer vem o entardecer e o anoitecer

Às vezes o céu é azul sem as nuvens
Outras vezes o sol se esconde por detrás delas
Antigamente se olhava para os seus brancos
No remexer e nos desenhos formados por elas

Dias melhores eram os dias de outrora
Eram sempre cheios do querer ter o que fazer
Agora que qualquer fazer perdeu a graça
Todos os dias são apenas como qualquer dia
Fazem parte do tanto faz como eles sejam

Agora os dias são para o lembrar da memória
Ela puxa o reviver dos prazeres de outrora
Porque nesta era que a juventude já era
Não mais se suporta as tantas doidices
De ano a ano que fazem parte do cotidiano

Ficar só calado e surdo para o mundo
Evita o desperdício de se decepcionar
Com a humanidade tão cheia do vazio
Que lhe preenche os dias desta época
E já não adianta querer reclamar
Se não mais existe com quem conversar
Melhor é voltar a ver as nuvens a passar

Altino Olympio

 

 

 


 



Leia outras matérias desta seção
 » Carnaval e mulheres bonitas
 » A missão na Vida
 » A incógnita continua
 » A reencarnação
 » Recordar é reviver
 » O melhor amigo vai chegar
 » Coisas da vida
 » A raça preferida
 » Detector de mentiras mundial
 » Espetáculo inesquecível
 » Os bons princípios dos velhos anos novos
 » O Marcolino
 » Que tal o Natal de agora?
 » Nenhuma praça havia
 » Somos o que pensamos?
 » Se não fosse os outros...
 » Fluxo de sensibilidade
 » Será que a vida é uma ilusão?
 » A marca da besta
 » Convém não pensar

Voltar