12/06/2017
Fraqueza mental humana

O advento do computador com seus programas instalados e pelo adquirir deles pelo público em geral esteve a facilitar o entender de como todos os seres humanos também são sujeitos a serem programados, isto é, serem condicionados desde que nascem. Vivendo inconscientes de seus condicionamentos, de suas “programações” o homem sempre vive sob a obediência deles sem saber. Em tudo o que ele faz e mesmo em tudo o que pensa, o homem é um reflexo de sua consciência que, nada mais ela é do que a sua programação ou seu condicionamento. Seu refletir sobre qualquer fato é ligado a sua memória. Ela é o acúmulo de suas experiências vividas donde ele retira argumentações para as suas conclusões mentais. Suas deduções são conforme sejam as programações a que ele foi exposto no decorrer de sua existência para formar a sua consciência.

Nisso explica-se uma das principais causas da desigualdade humana. Programações diferentes podem resultar em diferentes compreensões sobre quaisquer fatos que concorram para a opinião pública se manifestar sobre eles. A programação ou condicionamento (aprendizado) a que todos estão sujeitos se inicia quando ainda se é criança e no seio da família. Continua na escola, no trabalho, na religião e etc. Deus é o maior condicionamento que existe. Todo o mundo o tem em seus pensamentos. A Mídia seja impressa, irradiada ou televisionada tem muito poder condicionante. Desde sempre, como e quando quiser, ela tem o poder de programar a mente de multidões com sua “formação de opinião”, seja contrária ou a favor sobre qualquer fato que ela deseja interferir e influenciar.

Outro meio eficaz que condiciona ou programa a mente é a leitura de livros. Um dos que mais influenciou (condicionou ou programou) a humanidade foi a Bíblia. Citando Karl Max, considerado o pai do comunismo, com suas idéias reformistas e revolucionárias inscritas em seus livros, também ele foi responsável pelo condicionamento de milhões de pessoas ao redor do mundo tornando-as contra sistemas de governo, principalmente contra a democracia. Quanto a serem programados ou condicionados por quaisquer influências transmitidas, sejam elas sobre política, sobre consumismo, sobre religião, sobre moda e etc. muitos são facilmente influenciados porque lhes falta o discernimento, a cultura e o raciocínio “para recusarem o que lhes seja inconveniente ou inútil”. Resumindo, a fraqueza mental ou intelectual de um povo facilita muito o domínio sobre ele, o adaptar dele sobre as exigências prejudiciais “legais” que lhes são instituídas pelos poderes governamentais do país donde impera a indiferença pelo bem ou mal estar do seu povo.

                                                                                             Altino Olympio
  



Leia outras matérias desta seção
 » Coisas de país de primeiro mundo
 » A vida é engraçada quando não é trágica
 » Pra que falar se ninguém quer escutar
 » Conflito com as ilusões
 » Quanto mais se vive menos se aprende
 » A eterna desigualdade humana
 » Somos conforme são os nossos pensamentos
 » America latrina em destaque
 » Prá onde foi morar a moral?
 » O detestável adorado pela mídia
 » Os comuns e os incomuns do pote de ouro
 » Desejos que só ficam nos desejos
 » Entrevista com o Filósofo (Altino Olympio)
 » O início da fila que ninguém quer ver
 » O despertar para as realidades
 » Músicas maravilhosas
 » Nosso personagem interior
 » Nós, os Adãos de todos os tempos
 » Brincando com a vida
 » O pesadelo terminou num sonho bom

Voltar