16/06/2017
Em Brasília vivem os donos do Brasil

Às vezes parece que um bem aprecia bem um mal. As empresas de seguro de vida, seguro contra roubos e etc. fornecem indenização contra danos de propriedades. Então, talvez, elas até simpatizem e muito, com os bandidos que roubam automóveis, porque sem esses “benfeitores” delas, elas seriam desnecessárias para “proteger indenizatoriamente” os donos de veículos roubados. O seguro contra roubo é o bem e o roubo de automóvel é o mal necessário (risos) Isto é um exemplo do bem precisando do mal para melhor poder existir. Agora ao contrário, muitas vezes o mal para poder existir é que precisa do bem quando o bem é bem trouxa. Aqui o “mal” é perfeitamente representado pelos políticos que são comprovadamente bandidos e corruptos e parece que não são poucos, e o “bem”, ainda bem, é representado aqui como sendo os eleitores que por bem elegem muito bem seus maus candidatos. Se o povo que vota em bandido e corrupto fosse pra cadeia (risos e mais risos) este país seria mais decente sem eleitores ingênuos e inconsequentes. “Diga-me em quem vota que direi como tu és”.

Já nos divertimos com o bem e com mal, mas, agora vamos nos emocionar com o que é bom e é verdade (até parece rsrsrs). Neste nosso país não existe “profissão política”. Política como profissão é quando o político sempre quer se reeleger para ser “empregado” do governo até morrer. Felizmente no Brasil não é assim. Aqui um político cumpre os anos de seu mandato, cumpre sua nobre missão e não tenta se reeleger. Presidentes também não tentam. Os políticos quando ainda em seus mandatos, eles sabem que muitos brasileiros têm os mesmos direitos de substituí-los sendo mesmo até mais capacitados do que eles. Aqui é muito raro se saber que políticos fiquem por muitos e muitos anos ocupando cargos que poderiam ser preenchidas por outros mais jovens que ainda não estão caducos. Mas, para as eleições nos existem problemas. Todos os candidatos são desconhecidos e nunca cumpriram mandatos. Isso dificulta saber em quem se vota. Isso é culpa dos já muito e por demais conhecidos que, em nome da honra, em nome da ética e pelo manter da reputação não se recandidatam. Isso é muito triste para quem os tinha como ídolos. Acreditem se quiserem, pois, ainda temos quem critica nossos políticos (coitados). Às vezes até são enxotados de locais públicos donde se encontram. Criticar partidas de futebol, tudo bem, mas, que se saibam, os juízes de futebol são os melhores, são os mais honestos e imparciais juízes que nós temos e eles não se corrompem facilmente como outros possam se corromper.

 

Altino Olympio

 



Leia outras matérias desta seção
 » Coisas de país de primeiro mundo
 » A vida é engraçada quando não é trágica
 » Pra que falar se ninguém quer escutar
 » Conflito com as ilusões
 » Quanto mais se vive menos se aprende
 » A eterna desigualdade humana
 » Somos conforme são os nossos pensamentos
 » America latrina em destaque
 » Prá onde foi morar a moral?
 » O detestável adorado pela mídia
 » Os comuns e os incomuns do pote de ouro
 » Desejos que só ficam nos desejos
 » Entrevista com o Filósofo (Altino Olympio)
 » O início da fila que ninguém quer ver
 » O despertar para as realidades
 » Músicas maravilhosas
 » Nosso personagem interior
 » Nós, os Adãos de todos os tempos
 » Brincando com a vida
 » O pesadelo terminou num sonho bom

Voltar