01/10/2018
Eleição divertida

No debate político da Rede Record de Televisão do domingo passado, dia trinta de setembro de 2018, todos os candidatos à presidência do Brasil não conseguiram esconder ou disfarçar a estima que eles têm pelo candidato que não compareceu ao debate por “ordem médica”, visto que ele ainda estava se convalescendo devido a ter sido esfaqueado por um “militante de si mesmo” descontente com a aprovação popular do esfaqueado. Voltando ao debate na TV, todos os presentes tão bem intencionados a favor do ausente, por tanto falarem dele, talvez até pensem em votar nele, já que ele não lhes sai do pensamento. “Eu nunca havia visto um ausente estar mais presente dos que estavam presentes”. Isso sim é que é democracia. Como o ausente não pode estar presente, todos os presentes no debate, numa atitude humana da mais nobre da face da terra fizeram nacionalmente propaganda para ele. Pareceu que eles não querem ser presidente e pareceu que eles preferem que o ausente seja o presidente. Eu sempre me emociono quando constato que todos os políticos brasileiros são tão maravilhosos.

 

Altino Olympio



Leia outras matérias desta seção
 » Fluxo de sensibilidade
 » Será que a vida é uma ilusão?
 » A marca da besta
 » Convém não pensar
 » Adeus dia de Finados
 » Conversa ocasional
 » Por que viemos ao mundo?
 » O passado convive com o presente
 » Os traídos e os traidores
 » Os exagerados do Youtube
 » Os que não sabem são os que mais sabem
 » Brasil, fonte do saber
 » Seres humanos que muito irritam
 » A Torre de Babel brasileira
 » Pegando pesado
 » Pensamentos lúcidos
 » O diálogo entre um Ateu e um Espírita
 » O gostar de alguém sem o alguém saber
 » Má temática da vida
 » Avenida Paulista amarelada

Voltar