11/10/2018
Liberdade, Igualdade e Fraternidade

Nestes tempos atuais, pois, estamos no século vinte e um, o slogan “Liberdade, Igualdade e Fraternidade” que foi o tema da Revolução Francesa de 1789, ainda continua impraticável pelo mundo. Mas, a “igualdade” do slogan acima da revolução francesa pode estar sendo notada e praticada no atual desinteresse humano de evoluir mentalmente. Parece que todos se igualam sob uma atmosfera comum de simplicidade intelectual. Parece que ninguém mais quer saber de saber (risos). Quando será que virão a existir outros como Isaac Newton e outros como Albert Einstein? O primeiro descobriu a lei da gravidade e o segundo desenvolveu a teoria da relatividade. Quando também virão a existir pensadores iguais aos do passado (filósofos) que nos influenciaram a refletir sobre a vida?

Antigamente podia-se pensar que havia seres humanos que eram enigmas para os demais porque eles se diferenciavam da maioria que era apenas do viver por viver. Eles, introvertidos e mais solitários, mais viviam para si mesmos tentando obter conhecimentos, dos quais, a maioria não se preocupava em obter. Muitos conhecimentos que foram úteis para a humanidade foram antes “descobertos” pelos considerados enigmáticos, aqueles que existiam à parte dos demais e não eram de se envolverem com as mesmas distrações diárias que aprisionam a todos que só se interessam em se distrair, em se divertir e etc. Estes, por serem comuns consideram como sendo esquisitos aqueles que mais vivem na solidão das suas reflexões e não compartilham com os outros suas banalidades cotidianas, as efêmeras satisfações dos sentidos.

Hoje aquela “igualdade” daquele slogan francês acima está no “desperdício de tempo” com a qual na igualdade quase todos se “nutrem” mentalmente e diariamente. Hoje pelo mundo estão tão diversificados os meios de comunicação, os meios de entretenimento e etc. e como parece, tudo para entreter e desviar a atenção de quem poderia melhor se entreter com o que fosse mais proveitoso para si, inclusive para a sua cultura. São uma pena que bovinamente muitos aderem aos passatempos que são promulgados diariamente, inclusive aqueles de pessoas para pessoas “amigas” que se contatam com suas “tão importantes” mensagens. Nesta era de quando tantos seres humanos “têm as suas cabeças tão ocupadas” difícil será que tenhamos alguns que sejam um enigma para os outros devido aos seus comportamentos sérios e às suas sabedorias e que possam, como muitos do passado, serem lembrado no futuro.

 

Altino Olympio



Leia outras matérias desta seção
 » Quando se sabe que nada se sabe
 » Desperdiçar o tempo
 » Os inconvenientes de sempre
 » Quando o paraíso existe
 » O aumento que diminui a moral
 » A vida no tempo e vice-versa
 » Por onde anda a decência dos políticos?
 » Trapistas, os monges do silêncio
 » Liberdade, Igualdade e Fraternidade
 » Eleição divertida
 » O Brasil é um país sério
 » Que Brasil você quer ?
 » Os políticos desprivilegiados
 » Barrigas perigosas
 » Somos prisioneiros mentais
 » Certezas e dúvidas
 » A inesperada e indesejada
 » A consciência viajante
 » Opiniões, comparações e contradições
 » Como se escolhe o melhor presidente

Voltar