23/11/2018
Os inconvenientes de sempre

A vida particular aqui neste país onde o sol mais gosta de aparecer e à noite quando a lua com seu clarão noturno criam o romance partidário entre nossos políticos e as estrelas do firmamento parecem ser brilhos de uma redoma que envolve os seres humanos felizes daqui num enlace fraternal de prosperidade intelectual e espiritual, nós nos deparamos com a militância profissional excelente das e dos desinteressados ofertadores de vantagens indubitáveis para serem adquiridas pelos proprietários de telefones fixos residenciais, isso, cotidianamente. Inegável e agradável é a interrupção, às vezes, da necessidade diária fisiológica quando o telefone “toca” e a necessidade fica pela metade e até sem a higiene depois dela para atender ao chamado telefônico que pode até ser um dos mais importantes do mundo. Mas, quase sempre é para nos retirar do egoísmo de excluirmos sossegado e tranquilamente o que ingerimos e nos sai compactado.

Eu, anti-social, às vezes sem querer, impaciente, maltrato alguma bem intencionada dessas pessoas que para agradar a seus patrões que são anjos, elas me telefonam oferecendo produtos (ou desprodutos) que facilitam o meu viver financeiro e me mantém na inclusão social, e isso me causa remorsos por não ter aplicado a famosa lei universal do “amar ao próximo” que funciona de verdade entre os seres humanos, como diariamente se nota. Entretanto, depois de uma reflexão aprofundada resolvi tratar com muito respeito tais pessoas que sempre telefonam e pedem para falar com uma de minhas filhas. Pergunto do que se trata e em seguida lhes digo para que aguardem por uns instantes porque a minha filha está cagando. E não é que numa das vezes uma das que telefonou me chamou de ser um sujeito “grosso”, mal educado? Coitada, nas melhores das intenções ela telefonou, talvez, para oferecer algo muito valioso para o bem da minha família.

Sei que tem gente impaciente que se revolta com a intrusão diária dessas pessoas mercenárias dessas alienações propagandeadas pelo telefone, mas, é preciso alertá-las que, não se deve ofendê-las, porque, elas estão nos seus “ganha pão” quando convencem e vencem a resistência das pessoas que relutam em adquirir “planos de alguma coisa” útil mesmo sem ser (risos). Ofendê-las chamando-as de filhas das mães daquela profissão amorosa paga, isso pode resultar em calúnia e ser motivo de processo judicial. Contudo pode-se “rogar praga” contra a pessoa inoportuna que telefona sem ela perceber e sem o interceder da justiça que é inoperante nesses casos em que ainda não existe legislação contra tal ataque mental (risos).

Convenhamos, essa interferência telefônica na privacidade do lar requereria uma legislação rígida para coibir energicamente, praticavelmente e de verdade tais aberrações imorais comerciais resultando em penalidades para os afortunados e desleais introdutores de tal prática insuportável. Mas, infelizmente donde existem seres humanos sempre se espera a decepção por eles pelos seus comportamentos irritantes aos outros. Lá pela internet existe um tal de Youtube por donde se assiste vídeos sobre vários temas. Entretanto, quando se quer assistir um musical, um filme ou outro vídeo qualquer, a interrupção deles por propagandas inesperadas e indesejáveis é desastrosa para a concentração e serenidade mental. O descarado desprezo ao próximo por quem está por detrás do tal “site de compartilhamento de vídeos” é bem notório quando a assistência deles é interrompida por “vídeos outros” sobre publicidades.

A “coisa” desprezível funciona assim: Quando se está focalizado no enredo de um filme, inesperadamente e por várias vezes surge um lixo qualquer chamado de propaganda para interromper na concentração e na continuidade do filme. O mesmo acontece quando se está ouvindo músicas acompanhadas com belas imagens. Por que será que ninguém reclama disso? Seria porque todos pensam que isso faz parte da vida? Mas, faz parte da vida nós querendo ver uma coisa e nos mostram outras que não queremos? Por que será que existem homens que tanto gostam de incomodar os outros que tanto já vivem incomodados e por isso estão tão acomodados em suas pacatas submissões aos meios de comunicação desta época que só visam à expansão da alienação?

 

Altino Olympio



Leia outras matérias desta seção
 » Quando se sabe que nada se sabe
 » Desperdiçar o tempo
 » Os inconvenientes de sempre
 » Quando o paraíso existe
 » O aumento que diminui a moral
 » A vida no tempo e vice-versa
 » Por onde anda a decência dos políticos?
 » Trapistas, os monges do silêncio
 » Liberdade, Igualdade e Fraternidade
 » Eleição divertida
 » O Brasil é um país sério
 » Que Brasil você quer ?
 » Os políticos desprivilegiados
 » Barrigas perigosas
 » Somos prisioneiros mentais
 » Certezas e dúvidas
 » A inesperada e indesejada
 » A consciência viajante
 » Opiniões, comparações e contradições
 » Como se escolhe o melhor presidente

Voltar