21/12/2018
Não existem coincidências?

Alguém sai de casa caminhando pelas ruas de seu bairro e ao encontrar um conhecido vê que ele está usando uma camisa igualzinha a dele. Isso seria uma coincidência? Doutra vez ao se encontrar com um amigo, ao falar-lhe sobre alguma novidade, o amigo interrompe e diz, mas, era sobre isso que eu também queria lhe falar. Coincidência? Mas, já ouvi dizer que coincidências não existem. Continuando, alguém vai embarcar no trem de subúrbio que passa em seu bairro e na estação esperando pelo mesmo trem está um amigo que faz tempo que não o vê e um diz para o outro: Mas que surpresa agradável, que coincidência encontrá-lo aqui. Ambos talvez não soubessem que já havia quem dizia que coincidências não existem. Será mesmo? Mas, parece que elas sempre existiram. Não existem mais?

Numa ocasião do passado estive na região do centro velho da Cidade de São Paulo e de súbito surgiu-me na mente o rosto, a imagem de um antigo amigo que não via já há muitos anos. Não dei importância a essa lembrança repentina e a esqueci enquanto caminhava entre pessoas e as lojas do comércio local. Entretanto, ao chegar à conhecida Praça do Patriarca, quem eu encontrei lá? Aquele amigo cuja imagem dele havia me surgido na mente poucos instantes antes. Mas que coincidência agradável! Nós nos cumprimentamos e “colocamos em dia” fatos que eram desconhecidos sobre nossas existências, visto que, nunca mais nos vimos desde que ele mudou-se para o interior do Estado de São Paulo. Depois, a surpresa de tê-lo encontrado me fez pensar se havia alguma capacidade cerebral, mental, psíquica, espiritual e etc. que nos comunicasse algo que ainda estava pra acontecer, como o acontecido nesse encontro com o amigo aqui relatado.

Também pelo encontro acontecido narrado acima é que pensam que não existem coincidências, porque, um “comunicado interior” bem expressivo precedeu aquele encontro com o amigo lá na Praça Patriarca. Também, não se pode ser tão radical ao dizer que coincidências não existem. Existem sim! Como nos exemplos do início desta narrativa. No caso em que houve aquele “aviso” precedente sobre aquele encontro com o meu amigo, muito dos entendidos sobre fatos ainda desentendidos ficam a dizer asneiras que mais complicam do que justificam. Não poderiam dizer que o aviso precedente foi sobre uma coincidência que iria ocorrer? (risos) Esses acontecimentos coincidentes sempre querem que eles sejam sobrenaturais, espirituais e etc. Geralmente o que o homem não entende ele “opina” como sendo algo transcendental, metafísico.

Altino Olympio

Comentários:

Oswaldo Muhlmann Junior - Ordem Rosacruz - AMORC-GLP

Qui 20/12/2018

Saudações, caro Fr. Altino!

Avisos inesperados, encontros, etc., dizem os entendidos que todas essas coincidências se devem às leis da sincronicidade. Yung fala bastante disto, entre outros experts.

Grande abraço e Feliz Natal!

Oswaldo

Rosangela Lopes

Qui 20/12/2018,

É verdade, as ditas coincidências vivem acontecendo né? e a gente não saber dizer sobre essas coisas, mas que elas existem, isto é fato!
Já dizia Shakespeare: "Há mais coisas entre o céu e terra que nossa vã filosofia pode explicar”... então...

Rosangela


 

 



Leia outras matérias desta seção
 » Somos o que pensamos?
 » Se não fosse os outros...
 » Fluxo de sensibilidade
 » Será que a vida é uma ilusão?
 » A marca da besta
 » Convém não pensar
 » Adeus dia de Finados
 » Conversa ocasional
 » Por que viemos ao mundo?
 » O passado convive com o presente
 » Os traídos e os traidores
 » Os exagerados do Youtube
 » Os que não sabem são os que mais sabem
 » Brasil, fonte do saber
 » Seres humanos que muito irritam
 » A Torre de Babel brasileira
 » Pegando pesado
 » Pensamentos lúcidos
 » O diálogo entre um Ateu e um Espírita
 » O gostar de alguém sem o alguém saber

Voltar