22/04/2019
Será que somos insignificâncias neste mundo?

Será que a palavra “cientista” se refere a quem seja “ciente” de algo que não é ciente para quem não é cientista (risos)? Impressionante como no meio cientifico se fala milhões, bilhões de anos luz da distância entre a terra e alguma galáxia distante. Um ano luz, conforme a ciência divulgou equivale a trezentos mil quilômetros “por segundo” da velocidade da luz. Multiplicando-se a quantidade de segundos que existem em um ano aqui na terra por trezentos mil se chegará ao resultado “inimaginável” da distância em que a luz percorre num ano. Lembrando, foi definido que a luz do sol para chegar até aqui na terra demora cerca de oito minutos, isso, para percorrer a distância de cento e cinquenta milhões de quilômetros.

 

No mundo científico não existe economia, pois, estimar em milhões ou bilhões de anos-luz de distância entre a terra e uma estrela descoberta em outra galáxia é comum. Neste mês de abril de 2019 foi divulgada a imagem de um buraco negro que está a cerca de “50 milhões de anos-luz” distante da terra. Está no centro de uma galáxia chamada de M87 e ele tem “40 bilhões de quilômetros de diâmetro”, cerca de três milhões de vezes o tamanho da terra. Esse Cosmos de espaços e distâncias impossíveis de serem imaginadas, conscientizadas, com tudo o que ele contém, até me parece que ele é milhões de vezes “maior que o infinito” (risos).

 

E pensar que tudo o que existe no Universo ou Cosmos, inclusive o tempo e os espaços vieram a existir depois do chamado Big Bang (a grande explosão) teoria esta, oficialmente anunciada em 1948 e que tenta explicar a origem do Universo. Estima-se que o Big Bang tenha acontecido há cerca de 13,7 bilhões de anos. Quando o Universo não existia o que existia para ocasionar o aparecimento e a expansão dele? Existem teorias, mas, são teorias. Mas, para aqueles que pensam que foi Deus quem criou o Universo, então, Ele já existia antes do Universo existir? Ele já existia naquele nada ou vazio de como era o Universo?

 

Entretanto, o Universo é e está presente, ele é tudo o que existe e é todo o nada (espaços) que existe entre tudo o que existe. Só na nossa galáxia dizem conter cerca de mais de cem milhões de estrelas e que existem bilhões de outras galáxias e em cada uma delas contendo também incontáveis milhões de estrelas. Que loucura! Se como muitos pensam que existiu um construtor consciente do Universo ele foi praticante de um exagero universal (risos). Velocidade da luz, anos-luz, bilhões de estrelas, bilhões de galáxias, o Universo se expandindo, galáxias em grande velocidade se afastando das outras, o infindável ou interminável que é o Universo e que a consciência humana não consegue abarcar, conscientizar.

 

É tudo o que os seres humanos não conseguem abranger. Mas, diante de tal imensidão, será que a terra é “a menina dos olhos” do Universo? Ou, ela é um planeta qualquer indiferente como são todos os outros que existem? Para os homens que aqui vivem parece que a terra é um planeta especial. De fato aqui existe a vida e este mundo é como se fosse um paraíso cujas criaturas, os homens, dentre todos os animais são os mais inteligentes. Eles não conseguem alcançar a realidade de como tudo veio a existir, nem mesmo tudo o que lhe ocorre dentro de seus corpos. Mas, suas inteligências estão nas criações de suas idéias.  

 

Por exemplo, “sabem” que na realidade eles são invisíveis, ou melhor, seus eus verdadeiros são suas almas que são invisíveis vivendo em corpos que são apenas constituições visuais, corporais e materiais por onde elas, suas almas, possam se manifestar objetivamente neste mundo. Elas se deslocam dos seus corpos quando eles já estejam gastos pelo passar do tempo e se desintegram. Os homens sendo suas almas imortais e não seus corpos, elas ao se desvencilharem deles continuam intactas para serem acessas a um mundo espiritual invisível como elas, chamado comumente e simplesmente de céu conforme ainda ouço quando alguém se despede deste mundo.  

 

Quanto ao Universo, também, muito do que é considerado sobre ele, certo ou errado, possível ou impossível, é o resultado da inteligência humana ao criar idéias ou imaginações sobre ele. Quanto aos cientistas, aos físicos, aos astrônomos e etc., enquanto eles ficam querendo desvendar os ainda mistérios do Universo que talvez sejam insolúveis, a humanidade mais vive com suas importâncias comuns e rasteiras. E o mundo gira carregando em seu solo as criaturas humanas que não sabem dos propósitos de suas vidas, se é que de verdade algum propósito existe para a existência humana.

 

Altino Olimpio

 

https://www.youtube.com/watch?v=vu-iNE_xD9I

 

Comentário:

Oswaldo Muhlmann Junior - Ordem Rosacruz

Qua, 17/04/2019

 

 Parabéns pelas suas ponderações sobre as questões misteriosas que envolvem a vida e o universo. De fato, como o próprio Frater coloca muito bem, a complexidade do tema se agiganta na medida em que a ciência vai apenas teorizando acerca dessas questões que estão sempre desafiando as fronteiras do saber, pelas novas revelações, como a do buraco negro que citou, o qual inclusive Einstein já previa, pelas últimas notícias publicadas na mídia.

 

Enfim, o Frater foi bastante inspirado no texto que escreveu, levando-nos a maiores reflexões sobre a nossa pequenez ou insignificância perante a grandiosidade do macrocosmos.

 

Muito obrigado por compartilhar e um bom dia!



Leia outras matérias desta seção
 » Os traídos e os traidores
 » Os exagerados do Youtube
 » Os que não sabem são os que mais sabem
 » Brasil, fonte do saber
 » Seres humanos que muito irritam
 » A Torre de Babel brasileira
 » Pegando pesado
 » Pensamentos lúcidos
 » O diálogo entre um Ateu e um Espírita
 » O gostar de alguém sem o alguém saber
 » Má temática da vida
 » Avenida Paulista amarelada
 » Tempo e a submissão a ele
 » Os simples e os gênios da humanidade
 » História apavorante
 » É proibido e pecado se suicidar
 » O castigo existe?
 » As noites são das lembranças
 » Homem, o dominador
 » A moda rasgada  

Voltar