20/05/2019
A moda rasgada  

Sempre me emociono quando me lembro que o povo é dono das suas decisões, é dono de suas preferências, é dono de suas atitudes, é dono de suas escolhas e etc. Ele nunca cede às sugestões ou influências provenientes de outros que nem sequer conhece e se tais outros se beneficiam com as influências e sugestões que sempre sutilmente impõe. Dono de si mesmo, o povo de donde emana o poder, conforme inscrito na constituição, ele com o seu “livre arbítrio” tão aparente, sempre é independente naquilo que corresponda aos seus desejos “originais”.

Uma das paixões da moda de hoje são aquelas do uso das calças propositalmente rasgadas nos joelhos e em outros lugares. Quem critica dizendo que esse modismo veio a existir para agradar as “Marias vão com as outras” das pessoas fiéis com essa moda atual se engana, porque, aqui neste país ninguém copia ninguém. Convenhamos, essa moda é muito bonita. Até parece que as mulheres ficam mais lindas, mais respeitadas e mais “gostosas” (risos). Isso vem a confirmar que quem adota essa moda significa ser o que e como quer e não o que a imitação ou a mídia quer.

Hoje, se eu tivesse que namorar e me apaixonar por alguém, jamais namoraria ou me apaixonaria por uma mulher que não usasse calça rasgada. Não gosto de pessoas antiquadas. Ah, já vi também usarem calças com remendos na bunda (risos). Impressionante como existe tanta solidariedade entre as pessoas para reverterem o que era feio para ficar bonito. Antigamente calça rasgada ou com remendos eram desprezadas e apenas pessoas mais simples as vestiam. Agora não! A moda “maltrapilha” faz parte do cotidiano das pessoas mais elegantes. Entretanto, eu continuo deselegante. Já não é surpresa, é impressionante como fazem como querem com o que o povo faça. Não só na moda, mas, também em muitos dos costumes que incomoda. Na música então... ...

 

Altino Olimpio



Leia outras matérias desta seção
 » Os traídos e os traidores
 » Os exagerados do Youtube
 » Os que não sabem são os que mais sabem
 » Brasil, fonte do saber
 » Seres humanos que muito irritam
 » A Torre de Babel brasileira
 » Pegando pesado
 » Pensamentos lúcidos
 » O diálogo entre um Ateu e um Espírita
 » O gostar de alguém sem o alguém saber
 » Má temática da vida
 » Avenida Paulista amarelada
 » Tempo e a submissão a ele
 » Os simples e os gênios da humanidade
 » História apavorante
 » É proibido e pecado se suicidar
 » O castigo existe?
 » As noites são das lembranças
 » Homem, o dominador
 » A moda rasgada  

Voltar