24/12/2019
Que tal o Natal de agora?

Os dias com seus significados “estipulados” pelos homens como são os dias feriados de todos os anos, são datas de fatos históricos que foram importantes para a humanidade. No passado como me foi lembrado, um dos feriados mais importantes para os povos cristãos foi o do dia do Natal, que, tinha como significado o dia do nascimento de Jesus Cristo. O dia vinte e cinco de dezembro, então, era um dia que parecia mesmo ser destacado dos outros dias tidos como dias comuns. O Dia de Natal impressionava muito. Até parecia que ele havia sido “materializado” como se tivesse tornado físico. Até de longe, nos meses de antes dele chegar, “até parece que ele já era visto” na imaginação ocupando um lugar especial.

Tal dia parecia ser reservado para a fartura que causava empanturra, pois, era um dia de quando muito se comia. Era o dia da abundância que parecia ser obrigatória “socialmente” para todas as famílias comemorarem o feriado sagrado. Aves e animais, como frangos, perus, porcos, coelhos e até cabritinhos tinham suas vidas ceifadas, tudo em prol da naturalidade que existia e ainda existe em torno desses sacrifícios para uma causa que não eram a dos sacrificados (risos). Para as crianças que por serem crianças nada entendiam daquele “Feliz Natal” que todos desejavam entre si quando se encontravam, elas também muito aguardavam aquele dia que era o dia de Natal para ganhar presentes. Os adultos também tinham suas trocas de presentes, e por isso, com essa mania de ano a ano o comércio crescia.

Os Natais de agora parece que eles não têm a mesma atração de outrora. Até as músicas natalinas que agradavam quando eram sonorizadas nas lojas para atraírem compradores de presentes, elas foram substituídas por músicas horríveis de se ouvir e até parece que são da autoria daquele que muitos temem e que é do mal e contrário de Deus que é do bem. (risos). Nos Natais de agora muita gente vai almoçar fora (de casa) em restaurantes ou viaja para lugares donde existem praias, ou, para o interior do Estado de donde moram ou mesmo para o exterior do país. Aquele significado tão forte do Natal de antigamente não é mais o mesmo. O que será que causou tal desinteresse de confraternização, mesmo a mais íntima, a familiar? Cada qual deve ter o seu parecer sobre isso. Ah, lembrei-me! Não poucas famílias já não se confraternizam porque seus membros vivem desunidos motivados que foram por incompatibilidades existenciais, pra não “dizer” que brigam entre si por qualquer causa que seja banal.

Altino Olimpio

Comentário: 

E ainda esquecem que o verdadeiro motivo da comemoração do Natal é o aniversário do JC e não trocar presentes, tão pouco confraternizar-se em um dia e guerrear nos outros 364. Mas como Ele disse certa vez "Não de pérolas aos porcos, eles não sabem o que fazer com elas". Edson Navarro.



Leia outras matérias desta seção
 » Se formos o que pensamos...
 » As lendas sobre o homem do passado
 » Puxão de orelha
 » O homem, suas ilusões e fantasias
 » Costumes sagrados interrompidos
 » O túnel do tempo
 » Mas que vida engraçada
 » Cada dia uma para encher o saco
 » Durante a pandemia a ociosidade faz pensar
 » Somos prisioneiros do tempo
 » Achismos incoerentes
 » Governador de São Paulo e a China
 » A mulher muito bonita
 » O desabafo da amiga
 » Quem procura encontra?.
 » Sabedoria popular
 » Flor que não se cheira
 » O que é a Quaresma
 » O tempo passa e nada muda
 » O futuro do passado

Voltar