09/03/2020
Música La Paloma e sua tristeza

Tudo o que ficamos, a saber, e a conhecer Deveria ser estímulo para se refletir Para entender o que se deve ou não repetir Como tudo vem a ficar para a história Às vezes deixa marcas profundas na memória Principalmente as que causaram tristezas Provocando um futuro de incertezas Como aconteceu para o povo de Cuba Tudo passou e isso já não mais perturba Mas a música La Paloma (a pomba) Em qualquer que seja o idioma Ela conta como foi o sofrimento Para quem teve que ir embora e tormento para os que ficaram Vendo os seus amores que partiram.

Tudo consequência de uma revolução Causando no povo de lá muita aflição Naqueles que foram partes da dissolução Por não serem a favor do novo regime Que estando no poder a todos reprime Tudo foi do agrado de quem tinha otimismo Na preferência de se implantar o comunismo Ele foi criado na Rússia através de morticínio Isso para muitos ainda exerce fascínio Naqueles que têm eloquência por domínio E nem se preocupam se causam extermínio Para os desterrados que deixaram Cuba La Paloma é a canção triste dos exilados.

Sendo a dor de um povo que foi separado Muitos ficaram para serem dominados Muitos partiram para serem libertados Morando e vivendo em outros países Que não eram de seus agrados

Altino Olimpio

https://www.youtube.com/watch?v=RQZ5FYs3xhc

O tempo passa e nada muda A verdade é um caminho pouco percorrido Não se encontra em quem diz que a conhece E quer ministrá-la a outros que a procuram Outros são aqueles que nunca se questionam Nem questionam o que ouvem de outros Os dias e os meses e tantos anos passam Nada muda e todos continuam iguais E continuarão iguais em todos os dias Em todos os meses e nos anos futuros Nada muda ao procurar o que não encontram Milhões vivem assim só indo e vindo de lá E lá o aprendizado é igual de todo o mundo.

Ensinamentos que todos já sabem de cor São histórias que só servem para exemplo Mas neste século podem ser inadaptáveis Entretanto ninguém se percebe retroagindo Aceitando verdades que estão ultrapassadas O homem destes tempos tão tumultuados Perturbado ele se restringe a ser um joguete Da epidemia em que se tornou a tecnologia Impedindo muito que cada um fique na sua E a verdade de hoje é aquilo que mais distrai E preenche os espaços ocos da cabeça.

Nesta época de viver tempos desperdiçados O tempo passa e fica tudo do mesmo jeito Num viver só do que venha a acontecer Todos se igualam pelo viver do comum Não ultrapassam a fronteira entre os estados Da involução para o estado da evolução Sendo assim o caminho estará sempre deserto Sem alguém que ambicione por sua ascensão

Altino Olimpio



Leia outras matérias desta seção
 » Mas que falta de consideração
 » Nada como poder falar e aparecer
 » Minhas andanças por ai
 » Agora temos contatos, mas não com tatos
 » Quem sabe, sabe e conhece bem
 » A enganação parece eterna
 » A grande fraternidade branca
 » Os dias que sempre nos esperam
 » Frases ou lembranças que me chegam
 » O paraíso perdido
 » Penso, logo existo. jargão antigo
 » Os ladrões do tempo
 » A sacanagem não muda
 » Para os que não pensam pensarem
 » Não é tudo que o tempo modifica
 » O braço direito do homem
 » O inexplicável sentido da vida
 » Tempos e contratempos
 » Raciocinar cansa muito
 » Se formos o que pensamos...

Voltar