06/12/2017
Alçando vôo

E lá vai ele...

Meu neto, meu menino, mas ao mesmo tempo tão adulto... Desde sempre, sabia o que queria da vida, nunca mudou de ideia... Lutou, estudou muito, batalhou, duelou e conseguiu!

Lembra-se do dia em que ele nasceu minha filha Andresa?

A ansiedade da mãe de primeira viagem, do pai tentando manter a calma e dos avós... bom... eu estava muito ansiosa...E lá veio ele...aos berros, como era bravo, molequinho valente.

Já chegou brigando, mostrando a que veio.

Que difícil para você mãe, quando teve que deixa-lo comigo para subir a serra e ir trabalhar... Lembro até hoje de sua lágrimas de tristeza e ao mesmo tempo revolta, pois ser filha do “chefe”, só complicou sua vida...Licença maternidade? Imagina só, claro que não, afinal você era o exemplo... Sei que sofreu, saiu me deixando o ‘pacotinho’ aqui e só podia vê-lo de final de semana. Quero dizer hoje para você que lhe admirei muito...

E também lhe agradecer pela confiança em deixar seu bem mais precioso comigo.

Mas, a vida continua apesar de nossas dores, e você conseguiu finalmente leva-lo com você, que dia feliz aquele lembra-se?

Eu me lembro muito bem, porque afinal o ‘pacotinho’ tinha crescido e saiu todo serelepe no colo do papai deixando para trás uma avó de asa quebrada... sim de asa quebrada, porque vó quer todos ao alcance de seu olhar.

As férias, ah essas eram em minha casa né? Sempre foram!

Até agora, um homem feito, ele vem na casa da avó, em busca daquele mimo que só as avós sabem dar...

Estou relembrando tudo isso mãe, para lhe dizer que sei o que você esta sentindo hoje.

A síndrome do ninho vazio...

Porque você pode ter vários filhos, mas quando um se vai, ficará com certeza aquela sensação de vazio na casa, aquele aperto no coração em constatar que de repente, não mais que de repente, ele decide partir e você vê que ele sobrevive sem você, ele quer voar e você só quer proteger mais um pouquinho...

Ele cresceu e você nem notou, né?

A mochila tá pronta, ele continua brigando com  você, sobre os palpites que dá para levar mais coisas, remédios, enfim coisas de mãe.

Mas já é um homem, vai voar.

Vai em busca de novos desafios, porque tem certeza que leva consigo todos os ensinamentos que vocês pais deram a ele.

Ele tem consciência do que vocês fizeram por ele e agora partindo para a vida que escolheu, pretende mostrar que valeu tudo...

Orgulhe-se dele, orgulhe-se de você, que fez o seu melhor, que deve se sentir agora com a sensação de “missão cumprida”.

Então, na hora do adeus, sinta-se plena, sinta-se vencedora, ele está conseguindo seguir seus sonhos e você sempre esteve ao lado incentivando e apoiando, fez a sua parte.

E você meu menino, vá em frente, não olhe para trás, porque seu ideal está lá na gente aguardando você... Siga seus sonhos, conquiste, supere seus limites, mostre do que é capaz, porque a retaguarda, nós aqui, estaremos sempre a postos, para lhe acolher de toda forma que você precisar.

Você é um dos orgulhos dessa família, você também nos representa onde estiver.

Estaremos lá no dia de sua formatura, estaremos lá visitando você, enfim estaremos lá sempre que você precisar ou quando a saudade apertar demais.

Vai menino homem, alce seu voo...

Voe!

Minha homenagem ao meu neto Igor e aos pais.

Selma Esteticista


 



Leia outras matérias desta seção
 » Alçando vôo
 » Era uma vez...
 » Triste sina...
 » Voltei para o meu jardim
 » As inseparáveis
 » Idas e vindas
 » As balas
 » O tubinho branco
 » Metamorfose
 » Anjo Negro
 » Agulhada
 » O telefone
 » A bisavó
 » Um anjo em minha vida
 » Para Ela...
 » O cara de pau
 » O mistério da foto
 » Quando a inocência quebra as regras.
 » Uma das minhas Heroínas
 » O convite

Voltar