13/03/2018
Insanidade

Passei um bom tempo refletindo sobre como eu deveria escrever essa crônica, pois acabei me envolvendo muito com ela.

Uma mulher, que desde cedo foi batalhadora, vindo de uma família simples, já tinha desde sempre a ideia de vencer, de conquistar, de desbravar horizontes, ao contrário de suas irmãs que iam mais devagar na vida.

Passado os primeiros anos de estudo, num momento em que as mulheres já estavam pensando em casamento, ela seguia em frente em busca de seus ideais, e para isso foi cursar uma faculdade.

Mesmo tendo conhecido o rapaz que aparentemente a faria feliz, ela tinha que deixa-lo muitas noites, pois ia direto do trabalho para a universidade. Às vezes passavam a semana inteira quase sem se ver.

Como ele era de um lugar longínquo do país, passou a ficar mais tempo na casa da família dela, esperando para vê-la no final da noite, quando ela, exausta, finalmente chegava em casa.

Pelo menos era isso que ela pensava.

E no corre corre da vida, passaram-se dias, meses e anos, até quando finalmente começaram a falar em casamento, afinal, ela estava concluindo seus estudos. Foi então que certa vez, estando junto de uma turma de amigos, ela começou a ouvir alguns comentários que a deixou chocada e incrédula, mas na dúvida, ela ficou em silencio e resolveu verificar com seus próprios olhos e ouvidos e foi assim que numa noite insana, ela chegou de surpresa e teve a infelicidade de constatar que seu querido noivo, tinha um relacionamento intimo com uma de suas irmãs... dentro de casa, debaixo do nariz de todos, essas duas criaturas a traiam há muito tempo.

Acho que desnecessário se faz comentar o choque, a decepção dessa moça, que só queria da vida um lugar ao sol, uma vida de paz, junto de quem ela imaginou ser o homem de sua vida.

Foram meses de intenso sofrimento e amargura, onde ela achava que seu mundo estava acabado.

Mas o amor, ah esse sentimento que as vezes nos fecha os olhos e abre nossos corações, fez com que ela aceitasse os pedidos de perdão de tal noivo, que insistia em dizer que tinha sido um momento de loucura, que a amava e não saberia viver sem ela.

Talvez por amor, talvez por orgulho para mostrar para a tal irmã infame, ela aceitou casar se com ele. E assim, fizeram uma cerimonia bonita com festa e brinde, onde claro a irmã traidora não foi convidada.

Tudo parecia bem, até que ele começou a tentar convence-la a se reconciliar com a tal irmã, já que agora ela estava até para casar-se e naturalmente para ele, tudo podia ser esquecido.

Mas, a moça não se convenceu assim tão fácil e continuou vivendo sua vida longe da tal criatura e achando que o seu querido marido também.

Mas não foi bem assim.

Qual não foi a grande surpresa dela, quando a começar ouvir novamente comentários dos amigos, descobriu que seu marido, na verdade, havia arrumado um homem para casar com a irmã dela, para poder continuar sendo seu amante, já que era de comum acordo com o marido em questão. Ou seja, ele fez uma parceria para orgias de todo tipo e traia sua esposa da forma mais vil e descarada possível.

Lembro-me até hoje da maneira que minha cliente ficou, sem rumo, sem noção, sem esperança, totalmente desacreditada do ser humano.

Foram dias, anos muito difíceis...

Ela ficou muito só.

Só vivia para o trabalho.

Conversávamos muito e apesar de tudo o que ela tinha sofrido, ainda se preocupava em cuidar das filhas da tal irmã que nessas alturas da vida, já estava sozinha, mas continuava em seu mundo de perdição, passando de mão em mão dos homens da vida.

Mas, quem planta colhe e um dia, minha amiga conheceu entre seus relacionamentos de trabalho, um homem que conseguiu mostrar a ela, que nem tudo estava perdido, que ainda existiam pessoas decentes nesse mundo e foi assim que ela voltou a viver, casou-se, teve um filho que hoje já é um lindo rapaz e realizou seus sonhos de uma vida plena, até com casinha no campo, flores e passarinhos na janela, cachorrinhos no colo, cavalinhos a correr pelos verdes gramados...

“uma vencedora”.

E sabem a tal irmã? Continua perdida, mas agora numa corrida louca, para tentar driblar o tempo que a deixou mais velha e mais sem noção ainda.

E por incrível que possa parecer, minha cliente a perdoou pelo passado, mas agora vive de olhos bem abertos para o presente.

Você perdoaria?

 

Selma Esteticista


 



Leia outras matérias desta seção
 » Aniversário
 » Abrindo o Baú...
 » Sorrir sempre
 » Direito de Resposta do Mr. Brom
 » Mr. Brom
 » Uma mulher singular
 » Insanidade
 » Divisor de àguas
 » A dor da perda é o tamanho do amor.
 » Enfim
 » Alçando vôo
 » Era uma vez...
 » Triste sina...
 » Voltei para o meu jardim
 » As inseparáveis
 » Idas e vindas
 » As balas
 » O tubinho branco
 » Metamorfose
 » Anjo Negro

Voltar