13/10/2023
Os nossos tempos

Nós estamos “amarrados” ao tempo desde que nascemos. Desde quando crianças já nos havia o tempo cronológico, o tempo que é medido pelo relógio e que marca as horas do amanhecer ao anoitecer. O tempo cronológico também é a contagem dos dias decorridos nas semanas, nos meses, nos anos e nos séculos. Mas, também nos existe o tempo psicológico, aquele de quando distraídos não o percebemos passar e que é mais rápido que o tempo cronológico. Um exemplo comum é aquele de quando estamos viajando num trem conversando com alguém e ficamos alheios a tudo o que ocorre a nossa volta e as paisagens por onde o trem passa. Entretidos na conversa e distraídos do tempo, ao chegarmos no local do desembarque até pensamos em como foi rápida a viagem como também o tempo que passou sem percebermos. 

Para os primeiros habitantes deste mundo de quando não havia a marcação do tempo e só existiam os dias e as noites, como será que eles tiveram a noção do tempo a passar se eles apenas viviam os dias seguidos de outros dias? Hoje sabemos o quanto somos dependentes do tempo e como quase tudo tem relação com ele como o agora, o depois, o ontem, o hoje, o amanhã, a eternidade, a nossa idade, a história, a esperança, a saudade, o passado, o presente, a juventude, a velhice, a memória, as estações climáticas do ano e etc. e quem quiser poderá acrescentar para si outras situações que se relacionaram com ele, com o tempo. 

Nós vivemos atrelados ao tempo mesmo que ele nos seja imperceptível. Com o passar dos anos vemos muitas transformações na natureza. Mudanças, sempre elas tiveram “o tempo” para se diferenciarem do que eram ou foram antes. Quem se lembra de quando teve sonhos com um “enredo” tendo tido começo, meio e fim? Tais sonhos “compridos” se fossem para serem vividos em nosso estado objetivo ou desperto, eles demandariam muito tempo para serem realizados. Entretanto, nos sonhos eles se realizam, do começo ao fim com a duração de poucos segundos ou minutos, pois, eles são decorrentes do nosso tempo psicológico, totalmente diferente do tempo cronológico.

Altino Olímpio      



Leia outras matérias desta seção
 » O sistema sempre cai
 » Pensar nos pensamentos
 » Ele está voltando
 » Qual é o sentido da vida se é que existe algum?
 » A alma humana em destaque
 » Melhor não seria nós só crermos...
 » Mundo desprotegido
 » Nesta época quantos iluminados existem no mundo?
 » Opiniões ou conclusões impopulares
 » Turismo na UPA de Perus
 » A solução
 » No mundo existem crédulos e incrédulos
 » Joana d’Arc (1412 – 1431)
 » Foram tempos de fascinação
 » Não vou, é muito longe
 » Somos acúmulos do que mentalmente recepcionamos
 » Quando a vida é bela ou cor de rosa?
 » Reflexões 
 » Só sei o pouco que sei e mais nada
 » Conversa entre amigos do antigo Orkut

Voltar