31/10/2023
Nós somos como são os nossos cérebros 

Nós somos como são os nossos cérebros 

O nosso cérebro não para de se “remexer” nos pensamentos que ele mesmo sempre nos traz à lembrança como e quando quer mesmo que não os queremos. Muitos dos nossos pensamentos são intrusos e, no mais das vezes não são pertinentes aos momentos que vamos tendo na vida. Nosso cérebro encontra-se “encharcado” de lembranças que reaparecem como inoportunas nos momentos que não os desejamos. Quando temos pensamentos que não condizem com a realidade dos momentos em que vamos vivendo, além deles atrapalharem a nossa concentração sobre algo que desejamos refletir, ficamos distraídos em tais pensamentos alheios e isso é como sonharmos estando acordados.

Nossos cérebros podem ter a facilidade de serem sugestionados por incoerências, superstições e mesmo por mentiras que se depositam neles e que podem perdurar para sempre, até a morte. Eles, os nossos cérebros, também, “pela fé”, aceitam verdades e existências que a “razão e a ciência” rejeitam e repelem por não conseguirem comprovar. Conhecemos nomes como o intelecto, a mente, o subconsciente, o consciente e o inconsciente, o estado subjetivo e, todos eles como são, são o cérebro com suas subdivisões ou “coadjuvantes” tidos como ativos nele. Entretanto, o cérebro é que é o soberano das nossas vidas mesmo que tenha sido poluído por conceitos inúteis que ofuscam a realidade da vida.  

Altino Olímpio



Leia outras matérias desta seção
 » A alma humana em destaque
 » Melhor não seria nós só crermos...
 » Mundo desprotegido
 » Nesta época quantos iluminados existem no mundo?
 » Opiniões ou conclusões impopulares
 » Turismo na UPA de Perus
 » A solução
 » No mundo existem crédulos e incrédulos
 » Joana d’Arc (1412 – 1431)
 » Foram tempos de fascinação
 » Não vou, é muito longe
 » Somos acúmulos do que mentalmente recepcionamos
 » Quando a vida é bela ou cor de rosa?
 » Reflexões 
 » Só sei o pouco que sei e mais nada
 » Conversa entre amigos do antigo Orkut
 » O “me engana que eu gosto” é sempre atual
 » A mulher do ai, ai, ai
 » Quando nós seremos nós mesmos?
 » Viver muito cansa?

Voltar