17/11/2023
Antigamente havia demoras

Antigamente havia demoras

Existe uma música que tem o nome de “Mensagem” cuja letra dela começa assim: “Quando o carteiro chegou e de longe gritou com uma carta na mão, diante tristeza tão rude, não sei como pude chegar ao portão... ...” Nesta vida tudo passa e tudo muda. Bons tempos aqueles em que as pessoas se correspondiam por cartas. O contato com parentes distantes eram assim, por cartas. Para enviá-las era preciso ir até o correio, o intermediário para as mensagens chegarem aos seus destinos. Existiam as cartas de amor que, quando enviadas pelas moças eram enfeitadas com pétalas de rosas incluídas entre as páginas escritas a mão. 

Demandava tempo, dias, para que as cartas enviadas tivessem respostas para quem as enviou e as aguardava com ansiedade (risos). Agora quase não se envia mais cartas, pois, a tecnologia moderna fez com que as pessoas se comuniquem rapidamente e até instantaneamente estejam próximas ou mesmo distantes em outros países. Contudo, isso fez com que viesse a existir um bombardeio sem trégua de notícias diárias e muitas conversas ou mensagens inúteis entre pessoas que, não generalizando, se correspondem como se mais nada tivessem para fazer em suas vidas, a não ser “alimentar” os seus vazios.

Altino Olímpio   

https://www.youtube.com/watch?v=GKxNM5vVyq4

RAPIDINHAS DO ALTINO
Segredos juvenis

Naquelas noites de quando eu ainda dormia em colchão feito com palha de milho minhas imaginações me levavam até onde estavam as meninas que eu gostava. Eu namorava com elas em segredo. Eu muito as beijava enquanto o travesseiro suportava minha cabeça apaixonada por ilusões. Aquelas meninas cresceram, ficaram moças e se casaram... com outros (risos). Eu também cresci, fiquei moço e me casei com outra que não estava dentre aquelas que eu gostava na minha infância. Hoje, idoso não me acomodo ao travesseiro para pensar em alguma idosa. Por isso, hoje nem na imaginação beijo alguma mulher “em segredo” (risos).

        Altino Olímpio



Leia outras matérias desta seção
 » Rapidinhas do Altino
 » A Grande Fraternidade Branca existe?
 » A busca admirável
 » Às vezes demora, mas, a gente aprende
 » Antigamente havia demoras
 » Como pensarmos por nós mesmos sem termos influências? 
 » Paraíso desparaisado
 » O rio passa como tudo na vida passa
 » Nós somos como são os nossos cérebros 
 » Proibido para menores
 » Grande pescaria
 » As praças das cidades do interior
 » Os nossos tempos
 » As frases educam quando não caducam
 » Não há como fugir da realidade
 » Cada dia é apenas mais um dia
 » Condicionamento é o acúmulo de experiências vividas
 » Conhecimento e desconhecimento
 » Tudo termina nas saudades que ficam
 » Que vivam as crianças

Voltar